Cidadeverde.com

Prefeitura no Piauí pode decretar calamidade financeira por conta de precatórios

Foto: ascom

O Prefeito de Sigefredo Pacheco (PI), Murilo Bandeira anunciou nesta quinta-feira (19) que está estudando a possibilidade de decretar estado de calamidade financeira no  município em virtude da volumosa quantidade de bloqueios nas contas da prefeitura provocada por precatórios trabalhistas.

Os precatórios são frutos de ações trabalhistas ingressadas por servidores públicos municipais por conta de atrasos salariais e cobrança de FGTS de gestões anteriores e que agora caiu no colo da atual administração. O valor total do débito da prefeitura com os servidores é de aproximadamente R$ 4 milhões de reais. Só no último mês, conforme extratos bancários, foram bloqueados cerca de 300 mil reais.

“Isso está comprometendo a saúde financeira da nossa gestão e o cumprimento das metas fiscais. Não estamos conseguindo honrar com o pagamento de parte dos servidores, fornecedores e até mesmo o posto de combustível que precisa abastecer as ambulâncias”, alerta o prefeito.

Segundo o gestor, os bloqueios estão comprometendo cerca de 40% da receita corrente líquida do município. Ele afirma que já tentou negociar com o Sindicato dos Servidores Municipais, mas sem sucesso. “Não quero dá calote em ninguém, quero pagar, mas preciso que seja de uma forma que não afete o funcionamento da máquina administrativa”, garante Murilo que acrescentou pedindo sensibilidade dos dirigentes do sindicato.

O Prefeito disse que já comunicou a Câmara Municipal sobre a situação e que sua assessoria jurídica já ingressou com um mandato de segurança no Tribunal Regional do Trabalho (TRT) e também está provocando instâncias superiores para encontrar uma solução que seja favorável para ambos os lados. “Queremos encontrar uma saída benéfica para todos, mas nossa gestão não pode pagar o preço por erros de prefeitos que não tinham compromisso com os servidores municipais”, pontuou.

João Bandeira
com informações - Ascom
[email protected]