Cidadeverde.com

Piauí pode ainda em 2021 ter todos os municípios interligados por asfalto

Uma das principais características da geografia do estado do Piauí é a grande extensão territorial, sendo o terceiro do Nordeste em área geográfica. Além disso, o Estado é grande também do ponto de vista longitudinal. As maiores distâncias lineares entre os pontos extremos do estado são de 1.400 quilômetros, do norte a sul, e 618 km, de leste e a oeste. Sendo o município mais ao norte, Ilha Grande de Santa Isabel, e mais ao sul, Cristalândia. Uma consequência dessas distâncias, sobretudo nos tempos mais remotos, foi o isolamento físico dos habitantes. Com estradas e rodovias pavimentadas, começou o processo de interligação entre as regiões e uma integração maior do povo.

Uma das prioridades do Governo do Estado é aproximar cada vez mais o piauiense e permitir tanto a ligação entre os municípios quanto do Piauí com outros estados. O principal objetivo é fortalecer as relações sociais e econômicas. Rodovias asfaltadas permitem às pessoas realizarem diferentes atividades como saúde, educação, religiosas, turismo e lazer. As atividades econômicas como comércio e transporte da produção também são impulsionadas com estradas pavimentadas e em bom estado de conservação.

Sabendo, portanto, que uma malha viária ramificada é um dos fatores que contribuem para o desenvolvimento, o Governo do Estado executa o Programa de Desenvolvimento Econômico e Social, o PRO Piauí, que implementa obras e ações nas áreas da saúde, educação, segurança, social, infraestrutura, modernização, parcerias público-privadas (PPPs) e atração de investimentos. 

O secretário de Estado da Fazenda e coordenador do PRO Piauí, Rafael Fonteles, destaca que, mesmo em meio ao cenário adverso que o Brasil vive desde 2015, de crise econômica e fiscal, agravado pela crise sanitária e social decorrente da pandemia da Covid-19, o Estado do Piauí, segundo ele, “na contramão desse cenário adverso”, apostou nos investimentos públicos como medida para a recuperação econômica.

“Então o PRO Piauí são obras e ações que evolvem tanto o desenvolvimento social como o econômico. São mais de 2 bilhões sendo aplicados na educação, mais de 2 bilhões na infraestrutura. E quando eu somo todos os setores e segmentos do programa, teremos R$ 6 bilhões em investimentos, obras e ações programados para serem realizadas neste mandato do governador Wellington Dias. Estimamos mais de 50 mil empregos gerados com esses investimentos, em mais de 1.500 obras. Podendo chegar a mais de 2 mil obras dentro do PRO Piauí, melhorando a qualidade de vida e gerando emprego e renda para a população. Realmente é um impacto social e econômico muito forte” ressaltou Rafael Fonteles.

Na área da infraestrutura, o PRO Piauí permite a implementação do Plano Estadual de Recuperação e Implantação de Novas Rodovias. Esse plano permite a restauração dos trechos desgastados dos mais de 6 mil quilômetros de rodovias estaduais asfaltadas e também a pavimentação de novas vias.

O secretário Rafael Fonteles destaca que mais de 4 mil quilômetros de rodovias já existentes estão sendo recuperados e recebem investimentos de mais de R$ 800 milhões para restauração, reconstrução, conservação e operação tapa-buraco. Já na pavimentação de novas rodovias o gestor informa que estão sendo investidos R$ 400 milhões.

Com esses investimentos, o Piauí chegará ainda este ano ao marco de ter todos os 224 municípios interligados por asfalto. Isso porque o Estado está concluindo a pavimentação da PI-256, que liga os municípios de Curimatá a Morro Cabeça no Tempo. A via também beneficia outras cidades da região do extremo Sul do estado.  Foram asfaltados 64 quilômetros na PI-256 e investidos mais de R$ 30 milhões, com recursos do PRO Piauí.

O governador Wellington Dias destaca que a conclusão dessa rodovia tem um significado histórico. “Com a sua conclusão, completamos 100% dos municípios interligados por asfalto no Piauí. Isso gera mais segurança e benefícios para todo os 224 municípios do estado. Quando assumi o primeiro mandato, em 2003, só tínhamos 66 municípios integrados por asfalto, cerca de 1.500 km e em uma situação muito ruim. Agora, são mais de 6.500 km de rodovias asfaltadas em todo o estado”, ressaltou o gestor.

Além de chegar a esse marco, o Governo do Piauí também pavimenta outras vias que permitem encurtar distâncias entre os municípios, em diferentes regiões, dando mais opções de acesso às cidades. É o caso da pavimentação da PI-215, no trecho entre os municípios de Campo Maior e Coivaras. A estrada era carroçal e agora vai passar da lama e da poeira para uma nova realidade. Serão asfaltados 27,88 quilômetros, que compreende toda a extensão da rodovia entre as duas cidades. A estrada, depois de concluída, também facilitará o acesso ao município de Alto Longá. Atualmente, os moradores dessa região precisam percorrer distâncias maiores para ter acesso aos municípios.

Além de melhorar o acesso aos municípios piauienses, os investimentos do Governo do Estado também contemplam a pavimentação de rodovias que ligam o Piauí a outros estados, fortalecendo a integração regional e impulsionando as relações econômicas e sociais. É o caso da pavimentação asfáltica da PI-322, que liga o município piauiense de Buriti dos Montes, no Território dos Carnaubais, à cidade cearense de Crateús. A via, que foi toda asfaltada nos seus 19 quilômetros de extensão, recebeu investimentos de R$ 8,3 milhões e já está liberada para tráfego de veículos.

Além de estreitar as relações sociais dos moradores dos municípios dos dois estados, a rodovia pavimentada vai estimular o desenvolvimento econômico da região, já que vai permitir o escoamento da produção e a exploração de potencialidades dos municípios piauienses, como o turismo, já que a via dá acesso a atrativos naturais como o Cânion do Rio Poti.

Já no Extremo Sul piauiense, o Governo do Estado trabalha na implantação de asfalto na PI-255, estrada que liga a cidade de Avelino Lopes, no Piauí, à divisa com a Bahia, no município de Buritirana. A obra está em fase de conclusão, com mais de 90% dos trabalhos executados e previsão de entrega ainda este ano.

Só em Avelino Lopes, vivem mais de 11 mil pessoas, que serão diretamente beneficiadas com a nova estrada. Cidades vizinhas como Curimatá e Júlio Borges também poderão contar com essa nova rota para a Bahia. Já do lado baiano, além de Buritirana, as cidades de Campo Alegre de Lourdes e Pilão Arcado também serão diretamente impactadas com a obra.

Uma das obras de pavimentação de rodovia que terá grande impacto na integração do estado é a PI-120, no trecho entre a PI-115, em São Miguel do Tapuio, a Pimenteiras. Com investimentos da ordem de quase R$ 31 milhões, a pavimentação da via permitirá a interligação entre o norte e o sul piauiense.

Depois de concluída, a obra permitirá trafegar entre a BR-316, em Valença, até a BR-343, em Campo Maior. Esse era o único trecho da rodovia estadual, nesse complexo rodoviário, que faltava pavimentação para permitir a interligação dessas duas rodovias federais.

Inicialmente estão sendo asfaltados 39 quilômetros, sendo que 28% dos serviços já foram executados, com a pavimentação de 18 km da rodovia, incluindo as obras de drenagem e sinalização. Os serviços seguem com a terraplanagem de mais quatro quilômetros da via, o que corresponde ao trecho de São Miguel do Tapuio até o Povoado Coqueiro.

O secretário de Estado da Fazenda e coordenador do PRO Piauí, Rafael Fonteles, destaca que a PI-120 é uma obra importante e é um sonho de décadas da população tanto de São Miguel como de Pimenteiras. Ele garantiu que será pavimentado um total de 70 km. “Uma boa notícia é que já temos 18 km concluídos até o povoado Coqueiro. Mas teremos o asfaltamento até o povoado Brejo da Onça, serviço que será finalizado até o fim deste ano. E no ano que vem chegaremos até Pimenteiras, permitindo o acesso aos territórios Vale do Sambito e Vale do Rio Guaribas”, destacou o gestor.

A maior ligação econômica e social dos municípios piauienses é, sem sombra de dúvidas, com a capital Teresina. Seja para atividades como educação, comércio e saúde como para o acesso a serviços públicos ou de turismo, lazer e esportes. A chegada à capital tanto pelo norte como pelo sul piauiense já é uma nova realidade, sem engarrafamentos ou risco de acidentes. Isso graças à conclusão do processo de duplicação das BR-343, já entregue, no lado norte, como da BR-316, em fase de finalização, pelo lado sul.

A entrada/saída de Teresina para o norte do estado foi entregue no mês de agosto toda duplicada em 9,5 km, sinalizada e iluminada. A duplicação da rodovia garantiu uma via expressa e facilita o trânsito, sobretudo nos horários e datas com maior fluxo de veículos. No total, foram investidos R$ 54 milhões, recursos que permitiram intervenções que, além de melhorar o tráfego, resolveu, de forma definitiva, questões de drenagem, pondo fim a inundações que ocorriam em trechos da avenida, que traziam consequências e transtornos para o trânsito. Durante os serviços, foram construídos grandes bueiros que vão evitar que ocorram novas inundações.

Já a duplicação da BR-316, na entrada/saída para o sul do estado, os serviços estão em fase de finalização, com a pista principal e pista marginal esquerda já concluídas e liberadas para o trânsito de veículos. A sinalização horizontal e vertical e a iluminação da pista principal também já foram concluídas. Para finalizar a pista marginal direita, falta apenas a pavimentação de um trecho de 300 metros, na altura do posto da Polícia Rodoviária Estadual (DER).

Os trabalhos agora são executados na construção de duas passarelas para pedestres, conclusão da rotatória sob o viaduto do Bairro Porto Alegre e a pavimentação de duas passagens de desnível que servem para o retorno de veículos.

Ao todo, estão sendo investidos mais de R$ 70 milhões nessa via que vai melhorar ainda o acesso a dezenas de bairros da zona sul de Teresina. Diariamente, milhares de pessoas que residem nessa região utilizam a via para se locomover para chegar ao local de trabalho ou para atividades como educação e saúde.

Outra obra que também facilita e melhora o acesso a Teresina é a duplicação da PI-112, no fim da Avenida Presidente Kennedy, na rotatória de acesso ao Povoado Cacimba Velha, seguindo dois quilômetros em direção à cidade de União. A duplicação facilita o acesso a comunidades rurais que ficam na região e a PI-112 também dá acesso a outros municípios, como Davi Caldas, Miguel Alves e Porto do Piauí.

Os investimentos para a obra são de R$ 3,9 milhões. A via terá, ao fim dos trabalhos, duas pistas com 7,50 metros de largura cada uma. A intervenção contempla ainda dois passeios laterais e um canteiro central, todos com dois metros de largura. “A obra está avançada, o tráfego já está fluindo normalmente. É um dispositivo de duplicação que visa desafogar o tráfego para quem vai no sentido de União e que, em conjunto com a duplicação das BRs 343 e 316, desafogará as três principais saídas de Teresina”, afirmou o diretor do DER, Castro Neto.

Com informações Ccom