Cidadeverde.com

Preocupação com a qualidade dos alimentos em Floriano

Preocupados em atender os horticultores do município, a Prefeitura de Floriano, através, da Secretaria de Desenvolvimento Rural, realizou curso formativo nesta terça-feira (17), na horta comunitária localizada no bairro Campo Velho, para os horticultores da região do bairro Bela Vista, antigo Morro do Tiro. Segundo o secretário Assis Carvalho, que abriu o curso de “Uso Consciente de Agrotóxico”, o objetivo é conscientizar os produtores a não utilizar estes produtos nocivos à saúde. Assis ressaltou que as hortaliças demoram pouco tempo pra chegar a mesa do consumidor, em média 40 à 60 dias e existem agrotóxicos que agem por 21 dias, isso pode acarretar em diversos problemas de saúde, uma vez que os resíduos destas substâncias ficam acumuladas no corpo.

O técnico em agropecuária Jean Eufrásio, que ministrou o curso, garantiu que de 2002 à 2012 o uso de agrotóxico aumentou em 115%, e que a secretaria faz um trabalho preventivo através deste curso e de outras ações para conscientização da utilização do produto, em face da aplicação por parte de alguns produtores, o curso propicia informações sobre uso consciente, equipamento de proteção individual, maneira correta de aplicação e descarte correto de embalagens. 19 horticultores participaram do evento que foi avaliado de modo satisfatório, tendo a interação dos produtores que receberam com atenção todas as informações. No Brasil existem cerca de 200 tipos de agrotóxico em circulação, o Ministério de Agricultura Pecuária e Abastecimento – MAPA, realiza fiscalizações rotineiras ou através de denúncias, mesmo assim a demanda é muito grande, uma vez que o Brasil é o segundo maior consumidor de agrotóxico do mundo.

Muitos problemas de saúde estão vinculados à utilização destes produtos e são divididos em três categorias: agudas que envolvem sintomas imediatos ou poucas horas depois do contato com as substâncias, tais como tosse, sudorese excessiva, problemas de visão e etc.  Já as doenças sub agudas agem de forma mais lenta, ocorrendo a intoxicação por via oral, nasal ou dérmica e a crônica que abrange diversos tipos de câncer, até mesmo o de feto, se a mãe tiver contato com esse tipo de substância. O curso deve chegar em outras hortas florianenses e nas comunidades, por ser um período onde a produção é grande, paralelamente, ocorre o aumento de pragas na plantação, o que acaba influenciando a utilização do agrotóxico.

Fonte: Ascom