Cidadeverde.com

Recursos para energização da Serra do Quilombo

A região da Serra do Quilombo deverá receber do Ministério de Minas e Energia recursos para a conclusão das obras de construção de subestações e redes de distribuição de energia elétrica. A informação é do deputado Heráclito Fortes (DEM), que esteve em reunião, nesta quarta-feira (11), com o ministro Moreira Franco, que autorizou a liberação de R$ 7 milhões. Os recursos serão investidos na conclusão da subestação do acesso à Serra do Quilombo e na melhoria da qualidade da energia elétrica distribuída aos produtores rurais localizados na região.

“Esta será uma obra redentora para todo o Piauí, pela grande oportunidade que os municípios da região têm de aumentar a produção agrícola e estimular a geração de emprego”, disse o deputado Heráclito, que visitou as obras no último dia 05 de julho.

Heráclito lembra que foi no governo FHC que teve início o processo de energização da Serra do Quilombo, o que permitiu um aumento na produção de grãos, que passou de 500 toneladas para 2 milhões de toneladas. Segundo o deputado, na época, foram feitos 80 km e o projeto deveria ter continuado, o que não aconteceu no governo seguinte. “Cobramos do ministro essa dívida com o Piauí e agora o povo de Bom Jesus e região terá a conclusão dessa obra”, disse.

A solicitação da energização da Serra do Quilombo foi feita pelo diretor-presidente da Eletrobras Piauí, Arquelau Amorim. Nesta quinta-feira, 12, Amorim visitou as obras, em Bom Jesus, acompanhado de Abnner Mello, gerente do Luz Para Todos no Piauí e técnicos da empresa. Com eles também estava o prefeito Marcos Elvas que ressaltou a importância do empreendimento na região, considerada hoje, o maior centro de produção de soja do sudoeste piauiense. “A expansão e melhoria da sua rede elétrica é uma reivindicação antiga dos produtores e eu não tenho dúvidas que esses investimentos contribuirão, fundamentalmente, para o desenvolvimento dos municípios que compõem a Serra do Quilombo”, disse Elvas.

Segundo Arquelau Amorim, as condições de fornecimento de energia elétrica da Serra do Quilombo encontram-se com restrição de carga, sobretudo devido às constantes oscilações de subtensões e limitação de crescimento de carga nesse sistema de distribuição de energia elétrica. A causa principal dessa má qualidade de energia, explica, se dá em razão das longas distâncias nos níveis de 34,5 KV que atendem essa região.

Ele ressalta que os produtores rurais dessa região já estão conectados ao sistema atual de distribuição, no entanto, com restrição de carga devido aos problemas elencados. “A proposta, então, é a construção de subestações e linhas de distribuição aproveitando a rede existente para atender os clientes e a demanda reprimida com energia elétrica de qualidade em conformidade com os critérios técnicos e regulamentares da Agência Nacional de Energia Elétrica – ANEEL. Além disso, as subestações e linhas de distribuição a serem construídas atenderão novas cargas, possibilitando a recuperação da demanda energética da região”, explica.

Fonte:Ascom