Cidadeverde.com

PPP do Porto reforça a atratividade da ZPE Parnaíba

O projeto de Parceria Público-Privada (PPP) do Porto de Luis Correia, lançado na manhã desta terça-feira (12), pela Superintendência de Parcerias e Concessões (Suparc), no auditório do Palácio de Cultura, em Teresina (PI), vai contribuir para a atratividade e expansão da Zona de Processamento de Exportações do Estado do Piauí, a ZPE Parnaíba, na avaliação do seu presidente, Paulo Roberto Cardoso, que esteve presente. “A ZPE, que hoje já representa um dos grandes projetos de desenvolvimento do Estado, se tornará ainda mais atrativa para os investidores com as futuras obras do Porto de Luis Correia, cuja viabilidade se encontra comprovada pelo projeto que o governador Wellington Dias acaba de lançar no âmbito das PPPs”, disse Paulo Cardoso, que seguiu, ainda no dia 12, para o segundo roadshow da PPP do Porto, em São Paulo-SP acompanhando a Superintendente Viviane Moura e o Governador Wellington Dias. Em Teresina, ele estava acompanhado dos diretores técnico, Dinarte Porto; administrativo e financeiro, Carlos Teles; comercial, Roger Jacob e do assessor técnico Djalma Lacerda.

Durante o primeiro roadshow de apresentação da PPP do Porto de Luis Correia, o governador Wellington Dias incluiu a ZPE Parnaíba no conjunto de obras que justificam a nova proposta do Porto de Luis Correia, agora através da atração de investimentos privados por meio de Parcerias Público-Privadas. Ressaltando aspectos da geografia da costa nordestina, o governador ressaltou que entre São Luis(MA) e Fortaleza (CE) não existe um porto, e que a conclusão do Porto de Luis Correia tem o papel de suprir essa falta para atender a demanda estadual e também a demanda reprimida das estruturas portuárias dos estados vizinhos.

O projeto do Porto de Luis Correia sob a perspectiva de atração de investidores foi elaborado pela empresa DTA Engenharia, responsável por grandes obras de infraestrutura e manutenção em portos brasileiros como os de Paranaguá, no Paraná; Porto de Santos, em São Paulo; Porto do Pecém, no Ceará, entre outros. Para Daniel Kohl, economista e diretor adjunto da DTA Engenharia, a proposta relativa ao Porto de Luis Correia que começa a ser apresentada para investidores tem perfil voltado para atividades turística, pesqueira e escoamento de grãos, frutas, cera de carnaúba e demais produtos, sejam commodities, sejam manufaturas produzidas no Piauí e sua região de influência. Daniel Kohl explicou que o projeto atualizado e modernizado do porto prevê capacidade para receber navios de até 190 metros de comprimento por 31 metros de largura, com calado de até 12,5 metros.

Em sua fala na abertura do evento, o governador Wellington Dias disse que foi identificada uma demanda turística junto aos operadores de turismo, que pode ser suprida com o transporte de passageiros pelo Porto. Ele observou também que o novo perfil traçado para o Porto de Luis Correia coincide com o perfil da ZPE Parnaíba, que também está voltada para a agregação de valor aos produtos do agronegócio regional, o que já vem acontecendo com a fabricação e exportação de cera de carnaúba. “Contribui com a viabilidade da ZPE Parnaíba e do Porto de Luis Correia a grande produção do extremo Norte do Estado na área da fruticultura irrigada, a existência de uma extensa mata de carnaubais, e, por último, o plantio de soja que se inicia em larga escala no vizinho município de Piracuruca”, comemorou.