Cidadeverde.com

Psicóloga fala sobre isolamento devido coronavírus: novo modo de viver

Com o isolamento devido a pandemia do novo coronavirus, as redes sociais têm sido uma fuga para muitas pessoas. Elas em geral buscam por atividades e dicas para melhor lidar com esse novo - e temporário - modo de viver.

Se por um lado há muitos internautas na busca de conteúdos por outro há diversos profissionais se colocando disponível em ajudar o próximo.

Esse é o caso da psicóloga Samila Marques Leão (CRP 21 00636) e de outros profissionais da Psicologia que entraram no universo da "live do Instagram" para ajudar o outro a resguardar a saúde mental nesse momento em que não é recomendado o contato presencial. É o acolher e cuidar do outro com os recursos disponíveis nessa drástica mudança da rotina. 

"O isolamento hoje é outro modo de existir. Antes as pessoas tinham uma rotina de acordar 'correr' para pegar o carro ou o transporte público e ir trabalhar ,mas agora devem ficar em casa, diferente de alguns trabalhadores que estão 'na linha de frente (no combate à Covid-19). E há sim a possibilidade de adoecimento nisso, nessa mudança da rotina".  

A psicóloga explica que o isolamento pode gerar o sentimento de angústia. "Pessoas podem se sentir 'paradas' sem conseguir executar tarefas simples. Existe, nesse momento, a necessidade de uma nova adaptação".  

Samila Leão acrescenta que as pessoas precisam estar atentos aos sinais e a cuidar melhor da saúde mental para não desenvolver sintomas ainda mais graves, como transtorno mental, depressão e crises de ansiedade. 

"Quem já tinha um processo de cuidado (da saúde mental), precisa continuar. Que não tinha, podem procurar. Mas, claro, existirá pessoas que não irão se atingir (tanto) com o isolamento". Tudo depende de como cada pessoa irá lidar com essa reclusão. 

Muitos psicólogos estão oferecendo gratuitamente atendimento online aos profissionais da saúde. Eles se colocaram disponíveis por meio das redes sociais; algumas clínicas também adotaram essa iniciativa solidária para ajudar médicos, enfermeiros, técnicos da saúde, por exemplo, a como lidar com esse momento em que o trabalho deles é fundamental na cura das pessoas acometidas pela Covid-19.

 

Carlienne Carpaso
[email protected]