Cidadeverde.com

Após primeiro óbito, Piauí cobra equipamentos e investimentos de Bolsonaro

Foto: Roberta Aline/Cidadeverde.com

Após o Piauí confirmar a primeira morte por Covid-19, o governador Wellington Dias (PT) disse em entrevista a Folhapress que aguarda os recursos prometidos aos estados pelo Governo Federal. Segundo Dias, os "milhões" anunciados pelo presidente Jair Bolsonaro ainda não chegaram ao Piauí. 

Em entrevista, o governador afirmou que espera uma posição do Governo Federal para que possa receber os investimentos, equipamentos, materiais e respiradores adequados para combater a pandemia, que infectou, até o momento, 11 pessoas no estado.

"O problema mais grave é que quase não chegaram as coisas anunciadas. Nem para estados, nem municípios", reclamou Dias. "Tive que contratar pessoal extra, comprar EPI (equipamento de proteção individual), ter mais UTI e sala de estabilização, tudo isso por R$ 65 milhões. Esses bilhões que estão falando não estão chegando", apontou o governador, fazendo referência aos R$ 85,8 bilhões prometidos pelo governo federal para o combate à crise gerada pela pandemia, destacou a Folhapress.

Wellington Dias disse a Folhapress que até agora "o que chegou de material foi a conta-gotas".

"O EPI, eu comprei com antecedência, porque, se esperasse do Ministério [da Saúde], estaríamos em situação gravíssima. E precisamos dos respiradores. Não se faz uma política de segurança para coronavírus sem respirador", reclamou o governador do Piauí. 

No momento, o estado tem aproximadamente 210 leitos de UTI para combater o novo coronavírus, mas o ideal, segundo Dias, seria alcançar em torno de 450.

Isolamento

Nesde domingo (29), o Wellington Dias divulgou um novo vídeo pedindo que a população ficasse em casa para evitar a maior propagação da doença no estado. O governador apoia o isolamento social como uma das principais medidas preventinas para conter a transmissão mais rápida do coronavírus, seguindo as recomendações das autoridades sanitárias. Em casos suspeitos, o governador pede, novamente, que as pessoas não brinquem e procurem as Unidades Básicas de Saúde.

No vídeo de quase dois minutos, Dias critica brincadeiras feitas diante da disseminação da Covid-19. “Eu sei que tem pessoas perto de você que ainda está brincando com a situação. Gente que diz pra você que isso ai eu vou curar com alho, com limão, com São João da Barra, vou tomar uma pinga e vai resolver. Ou seja, pessoas que ainda brincam com uma situação muito grave”, criticou o governador Wellington Dias.

 

Carlienne Carpaso (com informações da Folhapress)
[email protected]