Cidadeverde.com

Moradores oferecem café da manhã a garis e aplaudem trabalho mesmo na quarentena

 

Um reconhecimento justo, mas inesperado, foi realizado aos profissionais que fazem o recolhimento do lixo domiciliar na zona Sudeste. Os moradores da rua 18 no residencial Manoel Evangelista, fizeram um café da manhã nesta sexta-feira(03) em agradecimento ao trabalhadores, que mesmo com a pandemia do novo coronavírus estão nas ruas para garantir a limpeza. 

O corretor de imóveis Everaldo Lima explica que tiveram a ideia depois que viram as pessoas se mobilizando para reconhecer as pessoas que estão na linha de frente, então pensaram em que eles poderiam homenagear as pessoas que têm mais contato com a rua, que são os profissionais da limpeza pública da cidade. 

“Chamamos alguns vizinhos, porque não podia ter aglomeração e fizemos isso. Estou recebendo muitos parabéns nas minhas redes sociais. Acho que o que a gente fez é para ser replicado, dá esse espírito de empatia, e é muito gratificante”, destaca o corretor.

No vídeo gravado no momento que eles chegaram o morador Adilson Elizeu os recepcionam e  afirma que é uma forma de homenagear os que mesmo correndo riscos continuam realizando o serviço de limpeza. 

“Todos os moradores se disponibilizaram para estarmos fazendo essa pequena homenagem. É o mínimo que podemos fazer, porque nada paga a saúde de ninguém e estamos reconhecendo o esforço de vocês”, afirmou ao recepcionar os garis na rua. 

Foto: Marceone Tacarijus

Os garis também agradeceram a homenagem. Antônio Carlos afirmou que é um serviço essencial. 

“Eu queria agradecer pelo reconhecimento. Esse é um momento difícil que estamos passando, mas como nosso trabalho é essencial, nós não podemos parar. E com a ajuda de Deus estamos conseguindo. Graças a Deus está todo mundo são e salvo”, destacou.

O morador Marceone Tacarijus ressalta que foi um momento emocionante. "A gente sentia, observava nos olhos deles, a emoção de estar sendo homenageado, porque são profissionais invisíveis para a sociedade. Quem é que para conversar com um cara que faz a coleta do lixo? Pelo contrário, a gente faz é se afastar quando eles se aproximam. São profissionais que a gente só percebe quando o carro do lixo deixa de passar", relatou. 

O corretor de imóveis Everaldo sugeriu que outras pessoas também façam o mesmo, “para que todos aqueles que estão na linha de frente como policiais, médicos, enfermeiros, frentistas, os que trabalhadores dos supermercados, farmácias, os garis que estão fazendo nossa cidade andar ainda”.


Desenho que o Gabriel Henrique, de 6 anos, fez em homagem aos profissionais da limpeza


Caroline Oliveira
[email protected]