Cidadeverde.com

Aplicativo da Caixa para auxílio emergencial de R$ 600 tem instabilidade

O site auxilio.caixa.gov.br e o aplicativo CAIXA|Auxílio Emergencial ficaram fora do ar por cerca de uma hora na manhã desta terça (7), logo após o lançamento da ferramenta que dá acesso ao auxílio emergencial de R$ 600 para desempregados e trabalhadores informais que estão sem renda devido à quarentena para combater a pandemia do novo coronavírus.

Entre meio-dia e 13h desta terça, quem tentava fazer o cadastro ficava parado na página inicial, sem conseguir confirmar seus dados. No Twitter, usuários mencionaram a dificuldade em concluir o pedido.

De acordo com o ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni, o site está disponível desde a noite de segunda-feira (6). Na manhã desta terça, a Caixa informou já ter recebido mais de 8 milhões de acessos. A atualização deste dado será anunciada às 15h desta terça.

Como ter acesso

Precisam baixar o aplicativo para se cadastrar no programa os informais que não estão no CadÚnico (Cadastro Único) ou não são beneficiários do Bolsa Família, os contribuintes individuais ao INSS e os MEIs (Microempreendedores Individuais).

É necessário estar com o CPF válido para receber o auxílio emergencial. Segundo o ministro Lorenzoni, quem fraudar dados para receber o auxílio emergencial será preso.

O auxílio emergencial será pago em três parcelas dentro dos próximos 45 dias. A primeira será paga até quinta-feira (9) para quem está no CadÚnico, não recebe Bolsa Família e tem conta-poupança na Caixa Econômica Federal ou conta no Banco do Brasil. Quem tem cadastro no CadÚnico, não recebe Bolsa Família e não tem conta nesses bancos receberá no dia 14.

A segunda parcela será no final de abril e a terceira, no final de maio.

Quem não sabe se está inscrito no cadastro poderá confirmar a informação no aplicativo ou no site, por meio do CPF.

Para beneficiários do Bolsa Família, o governo federal decidiu não mudar as datas de pagamento e não há necessidade de se cadastrar no site ou no aplicativo.

O pagamento será depositado diretamente nas contas dos trabalhadores. Será anunciado em breve um cronograma para saques em dinheiro. Os bancos não poderão usar o valor para cobrir saldo negativo da conta.

 

Por Ana Paula Branco e Clayton Castelani
Folhapress