Cidadeverde.com

Diagnosticado com Covid, engenheiro faz relato após sete dias internado

Foto: Reprodução Instagram @talesresende

Internado há sete dias em um hospital no Centro de Teresina, o engenheiro mecânico Tales Resende, de 29 anos, foi diagnosticado com Covid-19 e relatou ao Cidadeverde.com o que passou desde que sentiu os primeiros sintomas antes de receber alta, prevista para este sábado (25).

Tudo começou com uma tosse seca seguida de falta de ar, de início suportável, até Tales procurar ajuda médica e ser diagnosticado com pneumonia.

Após aprovação em um concurso, Tales estava em Florianópolis, Santa Catarina, em um curso de formação da Polícia Militar. Com o início da pandemia, ele resolveu voltar para o Piauí no dia 26 de março para ficar com seus pais no bairro São João, zona Leste de Teresina. 

“Voltei pra cá. Estava normal, fazendo minhas atividades físicas em casa, onde temos um quintal grande. Não estava em aglomerações, praticava as atividades físicas em casa. Cheguei a sair duas vezes para fazer corridas na (Av) Raul Lopes e na João XXIII”, contou 

Nas suas atividades físicas diárias, Tales relembra que começou a sentir uma tosse seca. Inicialmente ele pensou ser por conta da mudança de temperatura em relação à Florianópolis. “Pensei que era uma gripe por mudança de clima”, disse

Foto: Reprodução Instagram @talesresende

Internação

Na quinta-feira, dia 16 de abril, Tales teve uma falta de ar intensa, mas achou que fosse nervosismo. Mesmo não tendo costume de sentir falta de ar, não procurei nenhum atendimento médico. Na sexta (17) acordei com o corpo um pouco mole, um pouco febril. Quando foi à noite 19h, senti outra falta de ar, uma dispnéia. Foi quando vi que tinha algo diferente no meu corpo, não tenho costume de sentir aquilo”, relatou.

O engenheiro procurou um hospital particular na Primavera onde foi submetido a exames após relatar os sintomas que estava sentindo. O resultado apontou para uma pneumonia e Tales foi orientado a ser internado em um hospital no Centro de Teresina ainda na sexta-feira (17).  

Foram coletadas amostras para testes de Covid-19 analisadas pelo Laboratório Central do Estado (Lacen) que deram positivas para a doença.

“Os primeiros dias foram bem ruins. Tive que usar oxigênio porque minhas tosses eram constantes. Os quatro primeiros dias foram os piores. No domingo (19) quando descobri que era Covid-19 tive que controlar minha ansiedade, cheguei a tomar remédio para pressão”, contou o engenheiro. 

Tales Resende não chegou a ser internado na UTI. Ele conta que no quinto dia internado sentiu uma melhora e não precisou mais utilizar o aparelho de oxigênio. 

Alta

Após uma semana de internação, Tales passou por novos exames que apontaram melhora no quadro clínico e a possibilidade de alta médica neste sábado (25). Ele deve continuar em isolamento em casa onde continuará fazendo tratamento. 

“Não é uma gripe normal”

Com histórico de prática de esportes como natação, futebol e crossfit, Tales Resende tem menos de 30 anos e não possui histórico de doença respiratória. Ele conta que inicialmente menosprezava as recomendações de isolamento e achava que as faltas de ar que sentia eram ansiedade.

“Não levava muito em conta do isolamento, a prevenção. Quando eu estava em Santa Catariana eu saia para correr. Não dava muita atenção para a questão preventiva. Seria importante se as pessoas levassem em conta a prevenção porque isso não é uma gripe normal, é algo que só quem passa é quem sente”, sugere.


Tales participou de curso de formação de PMs em Santa Catarina antes de voltar ao Piauí no dia 26 de março.

Familiares fizeram exames

A mãe de Tales Resende, que o acompanha durante a internação, foi submetida a exames e teve testagem negativa. O pai e o irmão do paciente também foram examinados e não tiveram infecção confirmada. 

“Meu pai tem um enfisema pulmonar. Ele está sem sintomas. Vou voltar pra casa mas vou ficar isolado no quarto e os recipientes que eu utilizar serão descartados. Vou cumprir a quarentena e retornar para fazer novos exames”, disse. 

Valmir Macêdo
[email protected]