Cidadeverde.com

Mestre em Educação aposta em ensino que mescla online com offline pós-pandemia

O  novo coronavírus tem mudado a forma como as pessoas são educadas. Claudio Sassaki, mestre em Educação pela  Stanford University, aposta no ensino híbrido, modalidade que integra as melhores prática educacionais offline e online, como um dos legados na Educação pós-pandemia.

"Nessa metodologia há momentos em que o aluno estuda sozinho, aproveitando ferramentas online, em outros a aprendizagem ocorre de forma presencial, valorizando a interação entre eles e com os professores. Por inserir essas ferramentas digitais no processo de aprendizagem do estudante, essa estratégia tem se mostrado muito mais coerente, o que significa os alunos aprenderem mais", disse o mestre em Educação. 

Em vídeo para o Notícia da Manhã, Claudio Sassaki destaca que os alunos deste século já nasceram imersos no mundo digital. 

"O ensino híbrido traz para a sala de aula uma realidade muito mais conectada com o dia a dia dessa nova geração. Essa metodologia  tem sido disseminada em redes de ensino ao redor do mundo, países desenvolvidos e nos quais a inserção da tecnologia na sala de aula não é mais uma questão a ser debatida", disse Sassaki.

O especialista ressalta ainda que produtividade é um conceito questionável no atual momento e que o importante é manter crianças e jovens aprendendo. 

"Estamos em um momento de exceção. Manter nossas crianças e jovens aprendendo é o mais sensato a fazer no momento. Nessa perspectiva, produtividade é um conceito bem questionável pois deve ser vista com os olhos do momento e varia muito contexto de cada jovem e cada família", disse o especialista. 

Claudio Sassaki explica que o ensino remoto é uma alternativa durante a pandemia e que é necessário preparo. 

"Nesse cenário de exceção, a tecnologia, o ensino remoto à distância, se tornou a única alternativa para que crianças e jovens permaneçam, de alguma forma, conectados aos estudos. Entretanto, os pais, os educadores e responsáveis devem saber que educação online implementada em um contexto como o da quarentena tem algumas peculiaridades. Sair temporariamente da escola física para a digital requer um preparo que muitas soluções não oferecem. Não é só dar aula por videoconferência, não é só disponibilizar um conteúdo. É necessário usar a tecnologia com intencionalidade pedagógica, uma forma de educar e se conectar com os jovens que dialoga com as demandas do século XXI", disse Claudio Sassaki. 

 

Graciane Sousa
[email protected]