Cidadeverde.com

Piauí aguarda liberação da Anvisa para fabricar respiradores mecânicos

Foto: Gelson Catatau/UFPI

O Piauí está aguardando a liberação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para que o estado possa produzir ventiladores mecânicos. O modelo foi desenvolvido pela startup de Robótica TRON, com apoio de pesquisadores da Universidade Federal do Delta do Parnaíba (UFDPAR)  e UFPI. O equipamento é de baixo custo e utiliza materiais segundo normas da Associação Médica Brasileira (AMB). De acordo com o governador Wellington Dias, 300 unidades já foram encomendadas.

“Encaminhamos o pedido de reconhecimento à Anvisa e com isso a gente vai ficar numa situação de, no Piauí, pessoas serem atendidas com dignidade. Já são 300 respiradores encomendados. Isso vai ser uma novidade. A doutora Tatiana Chaves, da Vigilância Sanitária, está empenhada nesse reconhecimento da Anvisa, que deve acontecer nos próximos dias”, disse o governador ao inaugurar o hospital de campanha instalado no ginásio Verdão, em Teresina.

O governador disse ainda que autorizou uma aeronave ir a São Paulo buscar os insumos necessários para a produção dos equipamentos. “Hoje eu liberei uma aeronave para ir a São Paulo pegar os insumos que estão sendo comprados e devem chegar ao Piauí amanhã, de forma a garantir a produção de respiradores no Piauí”, afirmou.

Wellington Dias, inclusive, já mostrou a ideia ao ministro da saúde, Nelson Teich, o que pode levar os ventiladores mecânicos produzidos no Piauí servirem a outros estados. “Estamos nessa parceria com esse time de Parnaíba, liderado pelo Dr Gildário, e todos os envolvidos para que tivéssemos condições técnicas adequadas”, disse o governador.

Ventilador tem integração com telemedicina

Segundo a UFPI, o ventilador pode ser usado em crianças, adultos, e pessoas com sobrepeso. O equipamento é capaz de controlar variáveis como pressão e vazão do oxigênio. Conta com sensores de fluxo, de pressão, de saturação de oxigênio, além de integração com telemedicina, inteligência artificial e conta com perfis para ventilação assistida e controlada. 

O ventilador tem custo de produção de aproximadamente R$ 6 mil enquanto equipamentos industriais são vendidos a partir de R$ 50 mil. O respirador leva apenas algumas horas para ficar pronto. O aparelho tem documentação aberta, que permite a qualquer pessoa ou empresa acessar o protocolo e fabricá-lo para fins de filantropia, após autorização da Anvisa.

Hérlon Moraes
[email protected]