Cidadeverde.com

Ao reabrir comércio, prefeito diz que CNPJ também precisa ser preservado na pandemia

Ao determinar a reabertura do comércio em Paulistana, o prefeito Gilberto José de Melo (PSD) defende que tanto o CPF como o CNPJ precisam ser preservados durante a pandemia da Covid-19. O prefeito cita o CPF (Cadastro de Pessoa Física) em referência aos trabalhadores e o CNPJ (Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica) às empresas. O comércio na cidade estava fechado há 70 dias. 

Gilberto Melo ressalta que o isolamento social reforça o controle da transmissão do novo coronavírus entre as pessoas, mas também provoca prejuízos ao comércio. 

"Tem aquele ditado que diz assim: 'CPF não se ressuscita, CNPJ sim'. Mas nós temos que preservar as duas coisas. De qualquer forma, pedimos a Deus que o problema passe logo, mas passando ou não a população brasileira vai aprender a conviver com a situação. O comércio vai ter que reabrir no Brasil inteiro porque se não nós vamos ter a pandemia e depois a 'quebradeira' e o desaparecimento dos empregos. Vai se complicar muito", diz. 

Atualmente, a cidade de Paulistana está com 9 casos confirmados, 130 notificados, 9 pessoas já passaram pelo tratamento e estão curadas. Outros 121 casos foram descartados. 

"Tomei esta decisão (de reabrir) porque estamos há 70 dias com o comércio de Paulistana rigorosamente fechado. Eu já vejo que o comércio de todo o Brasil se articula para abrir na próxima semana: (a cidade de) Petrolina já abriu quase tudo ontem (01)", disse o prefeito, que é comerciante há 44 anos. 

O prefeito cita Petrolina porque a cidade está a 180 quilômetros de distância de Paulistana. "Paulistana fica bem próximo (do estado) de Pernambuco. Aqui é a porta de entrada de muitas pessoas que vêm do Sul do país. Fizemos um trabalho rigoroso com a nossa vigilância sanitária e a secretaria municipal de Saúde. Quando chegavam os ônibus clandestinos, nosso pessoal fazia uma triagem e acompanhamento (de quem chegava na cidade de outros estados)".

O gestor ressalta que os moradores da cidade, que possui cerca de 20.500 habitantes, respeitou o isolamento social e o uso de máscaras em via pública nas últimas semanas.

"Assumi o compromisso de abrir e confiando em Deus não haverá problemas porque o povo de Paulistana é trabalhador, que 95% da população estão fazendo o uso da máscara".

Carlienne Carpaso
[email protected]