Cidadeverde.com

Presos invadem pavilhão vizinho e ferem 3 detentos em Esperantina

Atualizada às 18h08

A rebelião foi controlada no início da noite após a entrada da tropa de choque no presídio. Informou a Sejus. O local vai passar por vistoria e os presos por contagem. Ainda de acordo com a secretaria, haverá transferência de detentos. As forças de segurança devem permanecer no local para evitar novos motins.

Atualizada as 16h45

O sindicato dos Agentes Penitenciários acaba de comunicar que a  rebelião dos detentos da Penitenciária de Esperantina agora está generalizada e cerca de 390 presos participam do motim. De acordo com José Roberto, presidente do sindicato a movimentação começou por volta das 13h mas até o momento nenhum reforço policial chegou ao presídio. Em vídeo gravado por moradores é possível observar a movimentação de presos sobre o muro da penitenciária.

Matéria Original

Detentos do Pavilhão C, da Penitenciária de Esperantina, invadiram o pavilhão vizinho para tentar matar três outros detentos. No conflito, três presos foram feridos e estão em estado grave.

Segundo informações, os detentos do Pavilhão C quebraram uma parede que divide um ambiente do outro e, dessa forma, um grupo conseguiu invadir o pavilhão D. Eles portavam instrumentos cortantes e barras de ferro. 

No embate, conseguiram lesionar ao menos três detentos da unidade, identificados como André Fabrício Ferreira da Silva, de 22 anos; João Batista Ferreira Filho, de 31 anos e Francisco José Benício Júnior, de 34 anos.

Os três feridos foram retirados da Penitenciária de Esperantina e transferidos para o Hospital de Urgência de Teresina (HUT). Segundo o hospital, o estado deles é grave e eles sofreram perfurações no tórax.

Ainda de acordo com as informações repassadas à TV Cidade Verde, o dano só não foi pior porque a guarda conseguiu intervir a tempo e fez disparos com armas não letais no momento do motim. 

Neste momento, a situação está controlada no presídio. A Secretaria da Justiça emitiu nota sobre o caso, afirmando que solicitou a abertura de inquérito policial e explicando que o "princípio de motim", como foi caracterizado, começou em protesto à transferência de detentos.

Veja a nota na íntegra:

Forças de segurança pública e prisional do Estado montaram base, no início da tarde desta sexta-feira (7), na Penitenciária Regional Luiz Gonzaga Rebelo, em Esperantina, para conter um princípio de motim envolvendo presos dos pavilhões B e C da unidade. A Secretaria de Justiça (Sejus) está atuando no caso.

Cerca de 30 homens – policiais militares e agentes penitenciários – estão no local para garantir a ordem e evitar outros distúrbios. De acordo com a Diretoria da Unidade de Administração Penitenciária da Sejus (DUAP), os presos se amotinaram em protesto à transferência de detentos que estava sendo realizada pela gerência do presídio nesta manhã.

A Secretaria de Justiça informou que abriu investigação para apurar o caso no âmbito administrativo e solicitou à Delegacia de Polícia de Esperantina que instaure inquérito policial para também investigar o ocorrido. Força Tática da Polícia Militar e equipe da Diretoria de Inteligência e Proteção Externa da Sejus (Dipe) estão no local.

Com informações de Tiago Melo, da TV Cidade Verde

Jordana Cury e Rayldo Pereira
jordanacury@cidadeverde.com