Cidadeverde.com
Geral

'Noiva' de quadrilha faz lipo e gasta R$ 2,5 mil com vestido

Imprimir
Para fazer o papel de noiva em uma quadrilha junina de Fortaleza, a enfermeira Rachel Sombra passou por uma lipoaspiração, além de investir em cuidados especiais com roupa, maquiagem e cabelo. Foram investidos mais de R$ 15 mil  para chegar ao terceiro ''casamento matuto'' com a beleza em dia neste mês de junho. Ela diz que só o vestido para ''subir ao altar'' custou R$ 2,5 mil, tudo custeado por ela. Rachel é tão dedicada ao personagem que até esquece de uma festa de casamento de verdade. “Caso todo ano”, brinca.

Rachel, 25 anos, dá vida pela terceira vez à noiva do grupo junino Cumpade Justino. Todo ano, ela faz pelo menos 10 apresentações. O ''casamento'', embora de ficção, é o centro das atenções dela. A escolha da noiva é feita pelos organizadores da quadrilha, e ter dedicação é um dos critérios de seleção. “Requer tempo, dedicação, interesse. E talento é fundamental”, afirma Rachel.

A “noiva" explica que, como engravidou em 2011, ficou um pouco acima do peso e precisava entrar em forma para se apresentar no São João. Então, decidiu, além de buscar o acompanhamento de um nutricionista, passar por uma cirugia que custou R$ 12 mil. “Recentemente fiz uma lipo para a preparação do São João e estou sendo acompanhada por uma nutricionista e pelo médico”, afirma.


“Por baixo. Em 2010, eu gastei mais de R$ 3 mil, sem contar o sapato, o arranjo do cabelo”, lembra. De acordo com Rachel, o valor é todo custeado por ela e a roupa é feita por uma costureira. “Neste ano, meu orçamento já estourou. Estou tirando dinheiro de onde não é para tirar”, disse. Para conseguir dar conta da preparação, a “noiva” vai comprando aos poucos o material para fazer o vestido.

Forma física em dia, a preocupação será com o cabelo, maquiagem e roupa. “A mudança de cabelo é um processo sobre a cor que vai ficar melhor para o São João. Dentro do que eu vou utilizar como arranjo”, explica. Com isso, argumenta que todo o trabalho tem de ser profissional, até por envolver muito dinheiro. “Foi-se o tempo em que quadrilha era só chita. A indumentária é muito cara, não é tão acessível como há um tempo atrás”, disse.

Casamento de verdade

A enfermeira “casou” na quadrilha junina Cumpade Justino em 2009, 2010 e ‘sobe ao altar’ neste ano pela terceira vez. Ela se diz tão “louca” pelo São João, que nem faz questão de ter festa de casamento de verdade. “Para mim, hoje, casar não seria prioridade. Eu não caso todo ano? O pessoal diz que quem é noiva de quadrilha não casa. Eu já estou começando a desencantar”, diverte-se Rachel, que diz estar em uma união estável.

Quanto ao “noivo”, Rachel explica que é tão dedicado quanto ela e tem participação fundamental em diversos setores da preparação do grupo. “Ele faz as coreografias, que requerem muito dos brincantes. Ele é o responsável pelas roupas, arranjos e sapatos. É o criador”, considera.

Fonte: G1

Imprimir