Cidadeverde.com
Cidades

Prefeitura de Altos vai criar defesa civil municipal e coordenadoria

Imprimir
Dentro do Projeto de Reforma Administrativa, que deve ser encaminhado à Câmara Municipal nos próximos dias, a prefeitura de Altos prevê a criação das coordenadorias da Pessoa com Deficiência e de Defesa Civil do Município.

 
Com relação à Coordenadoria da Pessoa com Deficiência, a prefeita Patrícia Leal afirma que a inclusão social das pessoas com deficiência é uma das prioridades do seu governo, uma vez que o município carece de políticas públicas voltadas para o setor.
 
“Queremos mudar a realidade do nosso município, implementando ações e políticas que, de fato, possibilitem às pessoas com deficiência o efetivo exercício da cidadania, sem impedimentos, com iguais oportunidades a todos”, destaca Patrícia.
 
No final de janeiro, a prefeita recebeu, em Altos, uma equipe da Secretaria Estadual para Inclusão da Pessoa com Deficiência (Seid), que apresentou ao município as ações previstas no Plano Viver Sem Limites nos eixos de saúde, educação, acessibilidade e inclusão social.
 
O coordenador de Acessibilidade da SEID, Claude Girão, afirmou que a iniciativa da prefeita de Altos é muito importante para garantir os direitos das pessoas com deficiência no município, “o direito à educação, o direito de ir e vir, o bem estar social, o direito à saúde, tudo isso está previsto dentro das ações do Plano Viver Sem Limite”.
 
Defesa Civil
 
De acordo com a prefeita de Altos Patrícia Leal, o Projeto de Reforma Administrativa também contempla a criação de uma Coordenadoria de Defesa Civil no município.
 
A chefe do Executivo destaca que a segurança da população é prioridade e lembra o episódio do vendaval, ocorrido no dia 9 de fevereiro em Altos, que casou destruição no município e transtornos à população como falta de energia elétrica e de água.
 
“Com a criação da Defesa Civil de Altos, vamos dar mais segurança e, consequentemente, tranquilidade à população, garantindo, ainda, a eficiência de ação nas ocorrências naturais que venham a acontecer nesta região”, frisa.

Da Editoria de Cidades


Imprimir