Cidadeverde.com
Cidades

População de Simplício Mendes pede mais segurança

Imprimir
A população de Simplício Mendes, distante 416 km da capital, saiu às ruas na manhã de hoje (1º) para pedir paz e mais segurança. Nos últimos meses, a cidade de 12 mil habitantes, vem sofrendo uma onda de violência, entre arrombamentos, assaltos e homicídios. A gota d’água teria sido a morte da idosa Albertina Rodrigues, 76 anos, que foi encontrada morta dentro de sua casa, com sinais de violência no rosto e com os pés e mãos amarrados. 

Fotos: Portal Jenipapo


O prefeito Heli Araújo de Moura Fé acredita que o fato da cidade ser o segundo maior entroncamento rodoviário do Estado e por ter outros dez municípios que dependem de seus serviços bancários, de saúde e de comércio, Simplício Mendes teria se tornado visada por bandidos.  “Só esta semana nós tivemos seis arrombamentos. Todos estão com muito medo”, conta o gestor, que solicitou junto ao governador Wilson Martins o reforço do policiamento na cidade. 

Após a manifestação, cerca de vinte homens da Polícia Militar, sob o comando do Coronel Lindomar, do Policiamento do Interior, chegaram à cidade. Eles irão intensificar as ações no combate à violência e tráfico de drogas, garantindo a segurança da população. “Não sabemos até quando essa força tarefa vai ficar na cidade, mas espero que nos traga mais tranquilidade”, diz o prefeito Heli Araújo, que espera agora a construção de um Batalhão da Polícia Militar no município.

Caso Albertina

A feirante Albertina Rodrigues, 76 anos, foi encontrada em avançado estado de decomposição, na segunda-feira (28), amordaçada, com pés e mãos atados e sem roupa. O delegado Andrei da Costa Alvarenga informou que crime foi caracterizado como latrocínio - roubo seguido de morte. 

Dois jovens foram presos após confessar o crime. Um deles é o adolescente de iniciais U. S. L, 14 anos e o jovem E. F. S, de 18 anos.


Arlinda Monteiro

Imprimir