Cidadeverde.com
Política

Cúpula do PT define estratégia para 2014 neste sábado e procura G12

Imprimir
Os líderes do diretório regional do PT se reúnem neste sábado (04) para discutir o processo de rompimento com o governo Wilson Martins (PSB) e as estratégias que serão adotadas para a campanha eleitoral deste ano. 

Entre essas estratégias estão a participação dos partidos que até agora fecharam uma aliança (PP e PTB) e outros que estão em fase de conversas, como os componentes do G12. 

Arquivo/Cidadeverde.com

Segundo o vereador Edilberto Borges, o Dudu, existem conversas adiantadas com PV (Teresa Britto) e PTC (Edvaldo Gomes). 

Porém, entre os principais pontos a serem discutidos estão a reforma administrativa imposta pelo governador Wilson Martins. Durante toda a semana, petistas se manifestaram em uníssono. A atitude do governador foi tomada na tentativa de isolar o PT. 

"Deveremos colocar na reunião o balanço da participação do PT no governo e as estratégias para 2014. Com certeza trataremos da forma como ocorreu a expulsão do PT do governo. Ele [Wilson Martins], como parte de outros segmentos, imaginava que o PT estaria isolado quando avançamos as conversas com o PP e o PTB e isso exarcebou uma ciumeira com a recomposição da base que estava atuando desde 2002", explica Dudu.



Ainda segundo o vereador e presidente da sigla em Teresina, o governador erra quando critica o PT por se unir ao PP e PTB. "Quem está destoando é quem está trazendo para a base adversários como o PSDB e o Heráclito Fortes (PSB)", avalia.

Ouvidoria

Dudu lembra que quando estava à frente da Ouvidoria do Estado recebeu uma ligação do governador reivindicando o cargo para oferecer ao prefeito de Piripiri, Odival Andrade. O indicado foi o deputado João Madison (PMDB).

"Eu era ouvidor Geral do Estado. O governador me ligou dizendo que ele precisava da Ouvidoria para trazer o Odival Andrade e o João Madison foi trazido de volta e eu disse que o cargo era dele e não seria empecilho para a estratégia do PSB. O PT nunca causou empecilho. Acho que o governo é dele e ele dispõe dos cargos como quiser", afirma.

Desabafo

Dudu fez um desabafo em relação ao tratamento dado ao PT pelo governo. "Agora, ele não reconheceu a ajuda do PT. O PT é diferente do PSB dele. Hoje, se esses aliados são como uma laranja que se chupa e joga fora, o PT não age assim", comenta.

Leilane Nunes
Imprimir