Cidadeverde.com
Geral

Cirurgias cesáreas superam partos normais em Teresina

Imprimir
O índice de cesarianas no Brasil é um dos mais altos no mundo: 43%, segundo dados Ministério da Saúde, o triplo do que recomenda a Organização Mundial da Saúde, que é de 15%. Em Teresina os dados também são alarmantes, principalmente, nas maternidades particulares que o número de partos cesáreas chega a 70% do total. 

Entre os fatores que elevam a taxa às alturas está, sobretudo, o medo que muitas gestantes têm de sentir dor e a comodidade de pais e obstetras de escolherem uma data para se planejar. Para o obstetra Alberto Monteiro Júnior, se o problema é a dor sentida no parto normal, hoje é possível dar à luz sem esse sofrimento, com a ajuda de modernas técnicas de analgesia.


"Existem até anestesias que permitem que a mulher caminhe durante as contrações. Este procedimento pode ser usado assim que se intensifiquem as queixas de dor ou desconforto excessivo", enfatizou o especialista.

Alberto alerta que a cesariana, de fato, salva muitas vidas, pois nem todo nascimento seria bem-sucedido de maneira natural, por limitações de saúde ou físicas da mãe, do bebê ou de ambos. Portanto, não se pode simplesmente taxá-la como má escolha, em defesa do parto normal.

Entretanto, o médico acredita que a escolha pelo pela cesariana acontece pela comodidade oferecida para a gestante, como realizar o parto com hora marcada, o que em geral atende aos interesses dos pais, preocupados com as questões práticas da vida contemporânea. “Hoje vemos muitas mães plenamente capazes de dar à luz por parto normal que acabam optando pela cesárea, por motivos pessoais”, disse Alberto. 

Esse foi o caso da administradora Angela Sousa, mãe da pequena Alice, que mesmo sabendo dos benefícios do parto natural, optou por cesárea em sua primeira gravidez. "Na minha primeira gravidez, queria tudo planejado para poder passar o maior tempo possível com minha filha, como sou profissional autônoma logo teria que voltar ao trabalho. Então nos últimos meses de gestação, optei por fazer cesárea", conta.


Angela afirma que o pós-operatório foi a parte mais difícil da cesárea. Além da recuperação mais demorada, ela fez movimentos bruscos o que a prejudicou. ῾῾ Tive uma recuperação lenta e passei por alguns problemas até a cicatrização, o que levava a dores terríveis’’, descreve a administradora.

O médico afirma que dessa forma Angela não chegou ao resultado que esperava e explica que o melhor caminho para o sucesso desse momento tão especial está no bom dialogo da gestante com o seu obstetra ao longo do pré-natal, compartilhando dúvidas, receios, os prós e os contras das duas modalidades de dar à luz.

Vantagens do parto normal para a mãe

As vantagens do parto normal para a mãe incluem:
  • Menor risco de infecção;
  • Recuperação mais rápida:
  • Favorece a produção de leite materno;
  • Estreita os laços sentimentais com o bebê;
  • É mais econômico;
  • Menor tempo de internamento hospitalar;
  • Melhor recuperação no pós-parto;
  • Útero volta ao seu tamanho normal mais rapidamente;
  • A cada parto normal, o tempo de trabalho de parto fica mais curto.

As vantagens do parto normal para o bebê incluem:
  • Diminuição do desconforto respiratório pois ao passar pelo canal vaginal, seu tórax é comprimido e isso faz com que os líquidos de dentro do pulmão sejam expelidos com mais facilidade;
  • O bebê também se beneficia das alterações hormonais que ocorrem no corpo da mãe durante o trabalho de parto, fazendo com que ele seja mais ativo e responsivo ao nascer;
  • Durante a passagem pelo canal vaginal o corpo do bebê é massageado, fazendo com que ele desperte para o toque e não estranhe tanto ao ser manipulado ao nascer;
  • Ao nascer pode ser imediatamente colocado em cima da mãe, o que acalma mãe e filho;
  • Após estar limpo e vestido pode permanecer todo o tempo junto da mãe, se ambos estiverem saudáveis, pois não precisa ficar de observação.
  • O parto normal não pode ser realizado com dia marcado na agenda, mas o obstetra é capaz de apontar uma semana de maior propensão para o nascimento do bebê.

Parto normal dói?

O parto normal dói mas a dor é suportável e existem muitas maneiras de combatê-la, tais como:
  • Anestesia epidural;
  • Respirar lenta e profundamente durante as contrações;
  • Confiança na equipe médica;
  • Presença de um familiar ou amigo durante o trabalho de parto;
  • Poder movimentar-se e receber massagens durante as contrações.
  • Além disso é muito importante que a mulher faça o acompanhamento pré-natal para que ela e o médico saibam se existe algo que impeça o parto normal, como por exemplo alguma infecção ou alteração no bebê. Se estiver tudo bem, não existem contraindicações para o parto normal, basta deixar a natureza agir.

redacao@cidadeverde.com

Imprimir