Cidadeverde.com
Últimas

Pit bull agredida com machado mobiliza web

Imprimir
A cachorra pit bull que foi atacada pelo dono com um machado e depois jogada no Cemitério da Areia Branca, em Santos, no litoral de São Paulo, finalmente foi adotada e conseguiu um novo lar. Foram 17 dias de internação e outros 21 na Coordenadoria de Proteção à Vida Animal. Pessoas de todo o País se mobilizaram pelas redes sociais e colaboraram com o alimento especial que foi utilizado por 'Vida', que não conseguia mastigar.

Foto: Reprodução / TV Tribuna)
Pit bull passou por uma cirurgia de reconstituição de mandíbula 

Desde o dia 12 de fevereiro, quando foi resgatada, a cachorra passou por um doloroso processo de recuperação. Foi submetida a uma cirurgia de reconstituição da mandíbula, além de um tratamento cardiológico. Toda essa mobilização comoveu Carlos Leonardo Correa Sales, dono de um pet shop em Santos.

Leonardo acompanhou de perto a recuperação da cadela e entrou na fila para adotá-la. "Descobri a clínica onde ela estava se tratando, fui visitá-la e consegui dar papinha para ela. Desde então venho tentando adotá-la até que, graças a Deus, consegui", comemora.

Foto: Reprodução / TV Tribuna
'Vida' ficará em pet shop até se recuperar totalmente 

Até que esteja completamente recuperada, a cachorrinha vai morar no pet shop de Leonardo. Ele conta que foi amor à primeira vista e que 'Vida' já retribui. "Cada dia que passa ela vem demonstrando mais carinho, mais alegria, já tem até ciúmes de mim. Estou muito feliz com isso", diz.

Leila Abreu, responsável pela Coordenadoria de Proteção à Vida Animal, ficou contente com o desfecho do caso. "A 'Vida' foi jogada, arremessada dentro do Cemitério da Areia Branca pelo próprio dono. Estava agonizando. Ela levou várias marretadas na cabeça e corpo e nós recebemos um chamado de que ela estaria praticamente morta. A gente precisa desses finais felizes para continuar trabalhando, senão é muito duro", conclui.

O caso

A cachorra da raça pit bull foi agredida em Santos pelo próprio dono, que já teria matado outros dois animais. O suspeito golpeou a cabeça do animal com um machado e, depois, arrastou a cadela por 100 metros até dentro de um cemitério. O dono do animal ainda não foi encontrado.


Fonte: G1
Imprimir