Cidadeverde.com
Últimas

Rainha da Beija-Flor, nega namoro com ditador da Guiné

Imprimir

Raíssa Oliveira, rainha de bateria da Beija-Flor, está radiante com o título de campeã do Carnaval carioca 2015. Ela é uma das mais animadas na festa da quadra da azul e branca de Nilópolis na noite desta quarta-feira, 18. Em conversa com o EGO, Raíssa resumiu o sentimento de alegria e explicou como a escola chegou ao enredo polêmico:

“Fiquei muito feliz. Esse enredo foi ideia minha e da musa Eliane Julieta. Conheci um dos representantes da Guiné Equatorial há anos na Praça de Alimentação da Apoteose. Desde então, mantemos contato e todos os anos vamos fazer shows lá. Ano Passado, surgiu a ideia desse enredo e levamos isso para o nosso carnavalesco Fran-Sérgio. Nós vimos que era possível e foi feito”, explicou a rainha de bateria da azul e branca de Nilópolis.

Raíssa completou que o trabalho de todos os profissionais da escola foi fundamental para o desfile: “Tenho muito orgulho de ser rainha de bateria da Beija-Flor. A escola venceu por causa do barracão e da comunidade. Essa união faz a diferença na  hora de vencer um título”, explicou ela.

Apontada como possível namorada de Teodorín Obiang, filho do ditador Teodoro Nguema Obiang, da Guiné Equatorial e que doou R$ 10 milhões para realização do desfile, Raíssa afastou qualquer tipo de boato sobre romance: “Não é meu namorado. Esse boato é igual ao da época que falaram que eu estaria namorando o Roberto Carlos, quando ele foi enredo da escola”, explicou ela.

Fonte: Ego

Imprimir