Cidadeverde.com
Geral

Incêndio destrói distribuidora de alimentos na zona Leste de Teresina

Imprimir
  • Incendio_Piçarreira_10_750.jpg Ascom/ABMEPI
  • Incendio_Piçarreira_9_750.jpg Ascom/ABMEPI
  • Incendio_Piçarreira_8_750.jpg Ascom/ABMEPI
  • Incendio_Piçarreira_7_750.jpg Ascom/ABMEPI
  • Incendio_Piçarreira_6_750.jpg Ascom/ABMEPI
  • Incendio_Piçarreira_5_750.jpg Ascom/ABMEPI
  • Incendio_Piçarreira_4_750.jpg Ascom/ABMEPI
  • Incendio_Piçarreira_3_750.jpg Ascom/ABMEPI
  • Incendio_Piçarreira_2_750.jpg Ascom/ABMEPI
  • Incendio_Piçarreira_1_750.jpg Ascom/ABMEPI

Um incêndio de grandes proporções atingiu e destruiu uma distribuidora de alimentos localizada na avenida Maria Antonieta Burlamaqui, no bairro Piçarreira, na zona Leste de Teresina. A queima teve início por volta das 23h de quarta-feira (11) e se estendeu até a manhã desta quinta-feira (12). O prejuízo é orçado em cerca de R$ 4 milhões.

Para combater o fogo, que consumiu os alimentos estocados, além de materiais como fraldas e cigarros, o Corpo de Bombeiros destacou todas as viaturas da corporação da capital. O trabalho dos militares teve início logo após o início do incêndio e ainda não cessou. O fogo já foi controlado, mas ainda há chamas no local.

"Nós já isolamos o fogo. Mas ainda há muita coisa queimando, inclusive algumas explosões. Nossa preocupação é com desodorantes e garrafas de bebidas. Nosso trabalho vai continuar até que seja extinto o fogo. Existe o risco de propagação para edificações vizinhas", comentou no Notícia da Manhã desta quinta-feira o major José Veloso, do Corpo de Bombeiros.

O trabalho de controlar o fogo só foi possível porque os bombeiros conseguiram acesso ao prédio da distribuidora de alimentos através de uma madeireira localizada próxima. "Quando chegamos aqui, o galpão já tinha praticamente caído", contou José Veloso.

Além de controlar o fogo, os bombeiros também retiraram várias motos do pátio da distribuidora. A medida foi tomada para evitar explosões.

Segundo José Veloso, ainda é cedo para falar sobre o que ocasionou o incêndio. "Ainda não foi possível identificar a causa. Somente a perícia será capaz de fazer isso", disse.

De acordo com informações repassadas pelo Corpo de Bombeiros, o gerente responsável por administrar a distribuidora de alimentos estimou em mais de R$ 4 milhões o estoque destruído.

 

Flávio Meireles 
[email protected]

Imprimir