Cidadeverde.com
Destaques da TV/Rádio

Auto Mundo apresenta o Suzuki S-Cross, espaçoso e econômico

Imprimir

O Auto Mundo, deste sábado(9),  destacou o S-Cross lançado no Brasil, cuja versão é bem maior que o SX4 original. O SX4 de primeira geração (lançado em 2006) era um hatch médio com tração integral. Já o S-Cross tem porte de utilitário, mas ao mesmo tempo visual comportado. Do seu antecessor ele traz o logotipo SX4, que continua estampado na traseira, logo acima do nome “S-Cross”. Mas a proposta evoluiu.

O S-Cross chega com um design diferenciado. A linha de cintura baixa melhora a visibilidade e elimina a sensação claustrofóbica. Por dentro, temos a receita típica dos bons carros japoneses: plásticos simples e bem feitos.

O motorista se acomoda bem com o volante regulável em altura e profundidade. Atrás, três passageiros viajam com conforto. Há espaço para a cabeça e para as pernas, e o terceiro passageiro (no meio) ainda dispõe de encosto de cabeça e cinto de três pontos, que sai do teto. O porta-malas tem capacidade boa e leva 440 litros. Além disso, conta com um nível inferior para se guardar objetos abaixo da tampa, além de dois compartimentos laterais.

Dos 1.335kg do antigo SX4, passou-se a no máximo 1.190kg na versão mais completa do S-Cross. O resultado da mágica é um carro mais leve, que acelera mais rápido, freia melhor, sofre menos desgaste de componentes e ainda é mais econômico.

Para os japoneses, todos estes motivos foram suficientes para trocar o motor 2.0 16v de 145cv pelo novo 1.6 16v de 120cv. O cálculo dos especialistas funcionou, pois o desempenho melhorou, o tempo do 0 a 100km/h melhorou de 12s para 11,7s.

A versão GL vem equipada de série com ar-condicionado de ajuste manual, airbags frontais, direção com assistência elétrica, banco do motorista com regulagem de altura, computador de bordo, faróis de neblina, freios ABS, retrovisores externos com ajuste elétrico, rádio CD MP3 com bluetooth, volante multifuncional de couro, com regulagem de altura e distância e rodas aro 16.

Já a versão GLX adiciona ao pacote: ar-condicionado automático de duas zonas, aletas para trocas de marcha no volante (paddles shift), airbags laterais e de cortina (totalizando seis bolsas), controle eletrônico de estabilidade, assistente de partida em rampas, partida sem chave, piloto automático, sensores de estacionamento dianteiro e traseiro, rack de teto, retrovisores rebatíveis e com setas incorporadas e rodas aro 17.

O S-Cross chega para atender uma nova geração de crossover que foi desenvolvida com foco em eficiência, segurança e que privilegia a facilidade de uso e afinidade com o usuário. Com traços fortes e identidade única.

SUZUKI S-CROSS, ESPAÇOSO E ECONÔMICO

A fama dos Suzuki está nas trilhas e o Suzuki S-Cross é um carro espaçoso e econômico, capaz de ir mais longe do que um utilitário compacto normal. A fabricante japonesa não dispensou a tração integral quando decidiu criar o modelo.

O design do S-Cross é funcional e se destaca pelos grandes faróis arredondados, amplo capô curvo e linha de cintura ascendente. Na versão topo de linha GLS há opção de combinações de cores entre teto e carroceria: a popular pintura saia e blusa. Teto solar panorâmico com dupla abertura. Para você curtir o mundo lá fora sem sair do conforto do seu S-Cross.

A carroceria cresceu 20cm e incorpora o uso de aços de alta resistência para os principais componentes estruturais. A estratégia possibilitou que o S-Cross conquistasse nota máxima para adultos, crianças e pedestres nos testes de impacto do Euro Ncap. O resultado geral é um conjunto esteticamente harmonioso, construído em inédita plataforma.

Por dentro, o habitáculo remete aos dos monovolumes, com console central em posição elevada e muitos porta-objetos.

O antigo SX4 tinha um obsoleto câmbio automático de quatro marchas. Já o S-CROSS usa um novo câmbio automático do tipo CVT (com relações continuamente variáveis), que simula sete marchas. As trocas sequenciais são feitas por borboletas. 

Se os Japoneses gostam de sushi e câmbio CVT. São eles os que mais investem no sistema, que consegue explorar ao máximo o torque gerado pelo motor, buscando o modo de funcionamento ideal a todo momento. O carro fica muito mais econômico do que se tivesse um câmbio automático convencional.

A suspensão é firme e controla bem o comportamento do carro nas curvas. O que realmente faz diferença é o sistema de tração integral AllGrip. Isso significa que o condutor terá sempre o carro à mão, numa função adicional aos controles de estabilidade e tração. São quatro os modos de uso do sistema: Auto, com alteração automática de 2WD para 4WD de acordo com o terreno e economia de combustível; Sport, que otimiza o torque e as trocas de marchas, transferindo torque para o eixo traseiro; Snow-Mud, melhorando o desempenho em pisos de baixa aderência, como lama; e Lock (4WD), que distribui o torque entre as rodas para uso fora de estrada.

Itens como faróis com LEDs, lavador de faróis, sensores crepuscular e de chuva, rack prata, retrovisor interno eletrocrômico, tela multimídia de oito polegadas com navegador integrado com conexão internet wi-fi e teto solar panorâmico são exclusivos da versão GLS, que traz ainda rodas aro 17”, ar-condicionado dual zone e ainda soma bancos em couro. Com porte e aparência mais próximos à proposta de familiar com leve aptidão aventureira, convence pela qualidade de construção.

O S-CROSS foi desenvolvido com mais uma opção no segmento que mais cresce no mercado e fica mais econômico para seduzir consumidores de SUVs.

Confira a reportagem completa sobre o S-Cross 2015!

Com informações de Roberta Rocha(TV Cidade Verde)

Marcelo Lopes

marcelolopes@cidadeverde.com

Imprimir