Cidadeverde.com
Geral

Suspeitos de crime de Castelo serão ouvidos sobre morte de comparsa

Imprimir

O juiz da Vara da Infância e da Juventude, Antonio Lopes de Oliveira, está realizando nesta segunda-feira (24) audiências de reavaliação, uma revisão de todos os casos de internos do Centro Educacional Masculino (CEM), por sugestão do Conselho Nacional de Justiça. A defensora pública Patrício de Almeida Santos e o promotor Maurício Verdejo Gonçalves Júnior também acompanham os processos e informa que todos os internos devem ter suas sentenças avaliadas até a semana que vem. 

 

 

“É uma ação de rotina. Estamos verificando todos os casos. Acredito que hoje já teremos três ou quatro que conseguirão progressão, passando para a semiliberdade”, informou o promotor.  De acordo com Verdejo, os casos são diversos e estão sendo analisados mesmo aqueles mais recentes. Os adolescentes que tiverem progressão para a semiliberdade poderão ir para casa aos finais de semana e estudar ou trabalhar fora do CEM, retornando para pernoitar. 

Castelo
A defensora Aline Patrício informou que ainda não há previsão de data para a reavaliação dos três adolescentes suspeitos do crime de Castelo do Piauí. Ela acrescenta que entrou com recurso solicitando a inocência do trio. “O recurso é uma apelação pela absolvição deles sobre o caso de Castelo. Ainda não há data para isso acontecer porque as partes ainda serão notificadas. Nessa semana, ou na outra, eles serão ouvidos em audiência sobre o assassinato do Gleison”, informou. 

Estrutura
Na última sexta-feira (21), o Ministério Público se reuniu com representantes do CEM e outros centros educacionais para discutir melhorias para o local. Segundo, informações dos servidores, foi já foi aberto processo seletivo para contratação de assistentes sociais; adquiridos os colchões destinados aos adolescentes; lotados dentistas e técnicos em enfermagem no Centro Educacional Masculino; contratado educador físico para os jovens em semiliberdade. Outras soluções foram a lotação de dois psicólogos para o CEM em definitivo e a assinatura de um convênio entre a Seduc e o IFPI, respectivamente para implantação de uma Escola Modelo no Centro Educacional Masculino e participação dos adolescentes em cumprimento de medida socioeducativa no curso profissionalizante de robótica, entre outras medidas. 

Até o dia 25 de setembro deve ser apresentado o projeto e ampliação de reforma do CEM. “Um dos grandes problemas é a falta de educadores. Esperamos que isso seja resolvido rapidamente”, acrescenta o promotor Maurício Verdejo. Na reunião também ficou definido que a Secretária de Assistência Social irá elaborar, no prazo de 30 dias, um levantamento discriminando o impacto financeiro para contratação de 60 novos socioeducadores, encaminhando-o para Secretária Estadual de Fazenda Administração e para o Ministério Público.

 

 

Carlos Lustosa Filho
[email protected]

Imprimir