Cidadeverde.com
Últimas

Audiência no Ministério Público discute falta de medicamentos excepcionais no Piauí

Imprimir

Uma audiência pública que acontecerá às 10h desta terça-feira (15), na sede do Ministério Público do Piauí, discutirá a questão do desabastecimento de medicamentos nas farmácias de remédios excepcionais do Piauí. O MP expediu recomendação para que a Secretaria de Estado da Saúde do Piauí (Sesapi) regularizasse com urgência o fornecimento de substâncias indispensáveis a pacientes crônicos. 

De acordo com o diretor de assistência farmacêutica da Sesapi, Jean Batista, durante a audiência a secretaria irá apresentar as medidas que já foram adotadas para regularizar o fornecimento de alguns remédios apontados como prioritários na recomendação. 

"Alguns medicamentos que estavam em falta, como o Calcitrol endovenoso, para pacientes renais crônicos, a Hidroxiureia, para tratamento da anemia falciforme e remédios para a puberdade precoce já estão normalizados nas farmácias", disse ele em entrevista ao Notícia da Manhã. 

O diretor declarou ainda que o problema ocorreu devido a dois principais problemas: o desabastecimento por parte das próprias indústrias farmacêuticas e a morosidade dos processos licitatórios para compra das substâncias. 

"Muitos medicamentos estão em falta e nós recemos uma carta da empresa, que tem medicamentos cadastrados, de que só voltará a abastecer as farmácias no segundo semestre de 2016. Hoje temos três processos licitatórios em andamento e, para acelerar e manter o abastecimento, já fizemos a publicação e há outros dois que já foram para o parecer da Procuradoria Geral do Estado e entre 30 a 40 dias o processo será homologado", disse.  

O problema do desabastecimento, segundo o MP, ocorreu durante todo o ano de 2015. No último dia 11, a promotora de Justiça Cláudia Seabra fixou o prazo de cinco dias para que a Secretaria se manifestasse sobre as providências tomadas para o atendimento à recomendação. 

 

Maria Romero
redacao@cidadeverde.com

Imprimir