Cidadeverde.com
Entretenimento

"Covardemente atacada", diz Cris Vianna após sofrer racismo na web

Imprimir

Depois de sofrer com ataques racistas na web nesta segunda-feira, 30,  Cris Vianna usou o Instagram para fazer um desabafo. A atriz lamentou que, depois de Taís Araújo e da jornalista Maria Júlia Coutinho, ela também esteja passando por este tipo de situação.

Foto: Instagram / Reprodução


Cris Vianna posta em rede social sobre preconceito

"Infelizmente, ainda passamos por isso em pleno 2015. Recentemente, a vítima foi a competente jornalista Maria Júlia Coutinho. E agora, apenas um mês após minha linda colega Taís Araújo também ter sido vergonhosa e covardemente atacada, aqui estamos novamente precisando enfrentar racistas escondidos sob o pretenso anonimato da internet. Na noite do último domingo, minha página do Facebook recebeu uma série de comentários preconceituosos, imediatamente registrados e encaminhados à Justiça. Não posso me calar. Se meu trabalho me permite alguma expressividade, usarei minha voz por muitos que sofrem esse tipo de ataque racista diariamente e voltam para casa calados, cansados de não serem ouvidos, para chorar sozinhos. Como todos vocês, tenho orgulho da minha pele, do meu cabelo, da minha origem e de tudo o que sou. Do que somos. E não estamos sozinhos. Temos do nosso lado a lei – racismo é crime inafiançável - e milhares de brasileiros que também acreditam num país mais justo e civilizado, gente que entende que respeitar as diferenças é mais que um dever e que está disposta a denunciar e lutar contra todo tipo de preconceito. Sinto um encantamento profundo por essa mistura de cores que embeleza o nosso país e nos faz, brasileiros todos, sermos o que somos. A vergonha e a tristeza que sinto hoje são por essas pessoas pequenas, pobres de espírito e de coração vazio, que, em 2015, ainda insistem em reproduzir pensamentos há muito ultrapassados e desde sempre absurdos. São covardes com mentes limitadas, incapazes de enxergar e aceitar que somos todos, com as nossas diferenças e peculiaridades, dignos do mesmo respeito. A essa minoria cega e burra, minha pena", escreveu ela na rede social.

 

Uma foto postada pela atriz no Facebook foi o alvo das dezenas de cometários maldosos. "Já usou esse cabelo para lavar a casa hoje, africana?"; "Parece o Bombril que minha mãe usa na pia"; "Sua primata africana"; "Cadê o Ibama pra tirar esse porco espinho do Facebook?"; "Macaca", foram alguns dos posts feitos por internautas.


Casos de Taís e Maju
A página de Taís Araújo no Facebook foi alvo de diversos comentários racistas na noite do dia 31 de outubro. Os posts foram feitos em uma foto publicada por Taís cerca de um mês antes, e ela garantiu que levaria o caso à polícia federal. "Não vou me intimidar, tampouco abaixar a cabeça", escreveu ela em uma rede social.

As ofensas a Maju ocorreram em julho, também nas redes sociais. Na ocasião, uma corrente de apoio à jornalista foi criada na web por anônimos e famosos. Ao lado da colega de bancada, Renata Vasconcellos, e da equipe do "Jornal Nacional", o apresentador William Bonner gravou um vídeo promovendo a hashtag #SomosTodosMaju, que foi publicado no perfil oficial do jornal no Facebook.

 

Grupo que teria atacado Taís Araújo na web seria o mesmo do caso Maju
O EGO teve acesso às postagens do grupo 'QLC The Return', que seria responsável por orquestrar o ataque contra Taís na web. Lá, vários usuários comentaram a repercussão do caso e comemoraram o fato de não serem pegos pela Polícia Federal. Alguns perfis - que já são falsos - criaram outros fakes denunciando pessoas que não tinham a ver com o caso, para que a polícia se confundisse.

Em entrevista ao EGO no início de novembro, o delegado Alessandro Thiers DRPCI - Delegacia de Represão aos Crimes de Informática - disse que já desconfiava de um grupo orquestrado: "Estamos suspeitando também de uma possível formação de quadrilha. Há possibilidade de haver uma quadrilha organizada para a prática desses crimes de preconceito. Ou seja, difundindo ódio pela internet. E a Polícia Civil não vai admitir isso".

 

Fonte: Ego

Imprimir