Cidadeverde.com
Cidades

Casal é encontrado morto e corpos são deixados em locais diferentes

Imprimir
  • 20151231025049.jpg Reprodução / TV Cidade Verde
  • 20151231025048.jpg Reprodução / TV Cidade Verde
  • 20151231025048_(4).jpg Reprodução / TV Cidade Verde
  • 20151231025048_(3).jpg Reprodução / TV Cidade Verde
  • 20151231025048_(2).jpg Reprodução / TV Cidade Verde
  • 20151231025048_(1).jpg Reprodução / TV Cidade Verde

Um casal morreu na cidade de Água Branca e os corpos foram deixados em locais diferentes do município a 98 km de Teresina. A mulher Gonçala Pinheiro da Silva estava em um motel e o marido Antônio Ferreira de Lima estava no povoado Barreiros, na periferia da cidade. A principal suspeita da Polícia é de duplo homicídio.

Os crimes podem ter acontecido há pelo menos dois dias pois os corpos estavam em avançado estado de decomposição. O motel, que era do casal, não abriu durante esta semana e os moradores desconfiaram da falta de atividade do local.

O pai de Gonçala, Joaquim, almoçou com o casal no último fim de semana e foi ele que ligou para a Polícia abrir a porta do local. O corpo de Antônio foi encontrado com marcas no pescoço, como se uma corda tivesse sido usada para mata-lo.

De acordo com o delegado titular da Delegacia de Homicídios em Teresina, Francisco Costa, o Bareta, o secretário de Segurança, Fábio Abreu, determinou a ida de uma equipe da Delegacia de Homicídios ao local onde os corpos foram encontrados. A investigação continuará a cargo do delegado Ricardo Moura, que é titular da região.  

Segundo Bareta, a polícia aguarda laudos da perícia criminal para dar continuidade às investigações. Há suspeitas de que Antônio seja envolvido com agiotagem, o que teria provocado a morte.

“Precisamos determinar a causa da morte, o instrumento utilizado e a hora aproximada em que o casal foi morto para podermos abrir uma linha do tempo e aprofundarmos as investigações. Mesmo sem isso, temos uma equipe experiente na cidade que já está ouvindo algumas pessoas para determinar o perfil das vítimas, que é uma das coisas mais importantes”, declarou o delegado. 

Bareta também comentou que as vítimas moram em uma região cercada de pontos de vendasde drogas, o que pode relacionar as vítimas ao tráfico. 

 

 

Maria Romero (Flash)

Rayldo Pereira (Da Redação)
[email protected]

Imprimir