Cidadeverde.com
Entretenimento

"Corpo seduz se estiver bem trabalhado", diz Leticia Spiller

Imprimir

 

Letícia Spiller tirou tudo em ensaio de fotos para um jornal carioca e não esconde: além das atividades físicas, alguns procedimentos estéticos fazem parte do resultado do corpo curvilíneo e da aparência descansada. A atriz, que está em cartaz em “Dorotéia“, também tira a roupa em cena, e relaciona o ensaio nu com o momento no palco: “Acho que a minha decisão de posar nua tem muito a ver com a Dorotéia. Na peça, a cena de nudez faz parte de um contexto triste e doloroso, é algo que acontece naturalmente, eu me sinto à vontade. O ensaio reflete esse momento. Tenho 42 anos, iniciei há pouco tempo mais um ciclo de sete anos na minha vida. É a hora de me livrar de certas coisas”, contou na reportagem que acompanha as fotos.

“Ela é linda, mas se desapega da vida que leva e da própria beleza em busca de redenção pela morte do filho”, explica ela sobre a personagem. “De qualquer maneira, a ideia de beleza é engraçada, não acha? Muitas vezes eu não me senti bonita. Mas eu também tento praticar esse desapego porque o tempo está passando e não é fácil se despedir da juventude, encarar a realidade, entender que existe beleza na velhice. Aproveito enquanto ela está aqui, mas sei que não é só uma questão estética. O prazer nos deixa mais bonitos. Fazer o que se gosta, tomar um banho de cachoeira, ficar energizada”

A atriz, que tem a dança como sua aliada desde muito jovem, aposta no pilates e na ioga para manter a forma: “Tenho feito pilates e, para mim, é mais eficaz do que a musculação. Também pratico os ritos tibetanos, que são cinco posturas da hatha ioga que se repetem. Gosto de começar o dia com eles, acho que fazem o metabolismo girar. Hoje, eu danço quando dá tempo. Quero muito aprender flamenco, tenho fascínio pela dança espanhola. Gosto dessa sensualidade terra, sabe? Do ritmo, da força dramática…”

A alimentação também recebe atenção. Letícia descobriu intolerância à proteína do leite e ao trigo recentemente, e comenta: “Eu acredito no hábito e na reeducação alimentar. Procuro comer a cada três horas. Mas tudo bem sair da rotina. Não tenho pânico de engordar, mas também não gostaria que isso acontecesse. Então vou tentando manter a forma. Já fiz jejum para uma limpeza do corpo, mas não cometi nenhuma loucura. Louco mesmo é comer biscoito recheado de chocolate com requeijão. Eu fazia isso com as minhas amigas, tem gostinho de infância. Ainda hoje, muito raramente, como um. É uma delícia, sabia?”

“Sou favorável, mas desde que haja equilíbrio”, comenta sobre a estética, também moderada. “Eu faço preenchimento no cantinho da sobrancelha. As bolsas sob os olhos são uma característica da minha família, então as tirei com cirurgia. Depois de amamentar, coloquei silicone nos seios, mas pedi ao médico para que eles ficassem naturais. Sinceramente, não entendo por que as pessoas não falam sobre isso. Fazer cirurgia não é um problema!”


Para a atriz, mãe de Pedro, de 18 anos, e Stella, de 5, a maternidade a deixou mais sexy. “Eu não penso em seduzir. O corpo seduz se estiver bem trabalhado, tem a ver com consciência corporal. Busco o erótico que não está apenas no sexo, mas nas sutilezas. O prazer aumentou, a minha sensualidade também. Parece que tudo pula dentro da gente, ficamos com aquela bochecha corada”, brinca.

De olho também nos discursos de nomes como Meryl Streep, que comada discursos sobre papéis de qualidade para as mulheres e a diferença salarial, Letícia afirma: “Acho que a situação aqui é parecida. A ‘Dorotéia’, por exemplo, só está sendo realizada porque é um projeto da Rosamaria Murtinho, que decidiu comemorar os 60 anos de carreira fugindo de estereótipos. É natural virar a vovó ou a tia conforme os anos passam, mas há atores que se acomodam em certos papéis. Eu não quero estar ligada a um tipo de personagem, por isso me esforço para criar projetos de teatro e de cinema que sejam relevantes”. Um dos sonhos, por exemplo, é viver Anita Garibaldi, quem considera um espírito lutador.


Fonte: Boa Forma

Imprimir