Cidadeverde.com
Entretenimento

Música e cultura na segunda noite de Teresina é Pop

Imprimir

O público que compareceu ontem ao Espaço Noé Mendes curtiu seis atrações de peso no primeiro dia do Teresina é Pop 7, numa mistura de sons e ritmos que foi da ciranda do Grupo Eucapiau ao trash metal da banda Scud. Hoje  tem mais música, cultura e atitude, a partir das 19h.

Quem sobe ao palco para abrir o segundo dia do festival é o Quarteto Nômade, que arrasou ontem tocando clássicos do Metálica e Led Zepelin numa formação musical incomum nesse tipo de evento (2 violinos, viola e violoncelo). Logo depois entra a banda Captamata com sua mistura de blues com baião e rock com aboios mostrando que passeiam por outros ritmos, mas fincam suas raízes na sonoridade nordestina. 
 
Com a proposta musical de um som básico e direto calcado na linha punk/hardcore, a banda Obtus vem mostrar seu trabalho no Teresina é Pop, sempre com a proposta de cantar letras em português como forma de valorizar as mensagens de caráter social e intimista. Em outubro de 2002 a banda lançou a demo "Sangue no Olho" e já está trabalhando no projeto de gravação do próximo cd. 

Liderada pelo vocalista e guitarrista Danilo Rego, o Karranka acaba de lançar seu primeiro cd pela Lei A Tito Filho com os já conhecidos sucessos ?Daqui pra Frente?, ?Inverso? e ?Sara-me?, e emplacando novas músicas que já estão na boca da galera. E é esse repertório que o grupo vai mostrar nesse segundo dia de Teresina é Pop. Em seguida sobe ai palco do Noé Mendes o Conjunto Roque Moreira, mesclando uma linguagem regional ao rock, funk e reggae que faz todo mundo dançar.  

Fechando a noite tem a irreverência, a poesia e um som peculiar do Validuaté. Surgida em 2004, no município de União, teve como trampolim para a fama o Festival de Música Chapadão, e hoje colhem os frutos de muito trabalho com a divulgação do 1º Cd - ?Pelos pátios partidos em festa?. O grupo já prepara um novo Cd e promete adiantar algumas músicas hoje a noite.
Tags:
Imprimir