Cidadeverde.com
Geral

Rebelião tem 5 presos feridos, rastro de destruição e tiros na Casa de Custódia

Imprimir
  • rebe18.jpg Thiago Amaral
  • rebe16.jpg Thiago Amaral
  • rebe15.jpg Thiago Amaral
  • rebe14.jpg Thiago Amaral
  • rebe13.jpg Thiago Amaral
  • rebe12.jpg Thiago Amaral
  • rebe11.jpg Thiago Amaral
  • rebe10.jpg Thiago Amaral
  • rebe9.jpg Thiago Amaral
  • rebe8.jpg Thiago Amaral
  • rebe7.jpg Thiago Amaral
  • rebe6.jpg Thiago Amaral
  • rebe5.jpg Thiago Amaral
  • rebe4.jpg Thiago Amaral
  • rebe3.jpg Thiago Amaral
  • rebe2.jpg Thiago Amaral
  • rebe1.jpg Thiago Amaral
  • custodia12.jpg Thiago Amaral
  • custodia11.jpg Thiago Amaral
  • custodia10.jpg Thiago Amaral
  • custodia9.jpg Thiago Amaral
  • custodia8.jpg Thiago Amaral
  • custodia7.jpg Thiago Amaral
  • custodia6.jpg Thiago Amaral
  • custodia5.jpg Thiago Amaral
  • custodia4.jpg Thiago Amaral
  • custodia3.jpg Thiago Amaral
  • custodia2.jpg Thiago Amaral
  • custodia1.jpg Thiago Amaral

Atualizada as 19h25

Após 7 horas de intenso confronto, a rebelião na Casa de Custodia foi contida por volta das 19h30 desta segunda-feira (16). O defensor público, Juliano de Oliveira Leonel informou que o motim estava controlado e o balanço era de cinco presos feridos.O defensor informou ainda que a alimentação está sendo fornecida e que não há registro de mortos. 

"A priori a rebelião está controlada, a alimentação está sendo fornecida e pelo que apuramos foram cinco presos feridos. Os entulhos estão sendo retirados e não há risco de morte de detentos", informou.

Atualizada às 18h24

Uma das maiores rebeliões realizadas na Casa de Custódia – iniciada por volta das 12h – registrou até agora três presos feridos e um rastro de destruição, tiros e confrontos. 

O defensor público, Juliano de Oliveira Leonel pediu calma aos familiares para evitar que os detentos voltem a se agitar. 

"Pedimos a vocês [os familiares] que parem de soltar rojões, porque isso pode piorar as coisas. O pavilhão B já estava praticamente dominado quando eles ouviram o barulho e começaram a se agitar novamente, então, eu peço que vocês parem, é para o bem deles", ponderou o defensor ao sair do presídio e se dirigir aos familiares em frente a Casa de Custódia.

Quanto a estrutura, o defensor e os representantes da Comissão de Direitos Humanos da OAB ainda não conseguiram avaliar os danos na estrutura da Casa de Custódia. 

"Eles colocaram fogo em dois pavilhões e os Bombeiros ainda estão trabalhando para apagar as chamas, vimos que algumas grades foram retiradas, mas só saberemos os reais danos quando todos os pavilhões estiverem controlados", afirmou o defensor Juliano de Oliveira Leonel. 

O vice-presidente do Sindicato dos Agentes Penitenciários do Piauí, Kleiton Holanda atribui a rebelião a vários fatores, entre eles, a transferência de seis presos, identificados como mentores da tentativa de fuga frustrada ontem no pavilhão F.

“Até agora só foi possível a policia chegar até o pavilhão D, os F e H estão impossibilitados devido a grande quantidade de fogo no corredor que dar acesso aos pavilhões F, G, H  e I.

 

Atualizada às 17h49

Até agora o balanço da Secretaria de Justiça é de dois presos feridos durante rebelião na Casa de Custódia. O diretor Carlos Edilson Sousa informou que parte do motim já foi contido. A rebelião vai completar quase 6 horas de duração com tiros, barricadas com fogos e gás lacrimogêneo. 

“A ala H já foi contida e temos dois presos feridos com bala de borracha, ainda não sabemos os motivos da rebelião”, disse Carlos Edilson.

Ele informação ainda que pavilhões estão destruídos com o quebra-quebra e barricadas de fogos nos colchões. 

O diretor do Sindicato dos Agentes Penitenciários, Kleiton Holanda, afirmou que um dos motivos da rebelião seria a transferência de seis internos ontem, possivelmente líderes dentro do presídio. 

Atualizada às 17h07

Uma ambulância do Corpo de Bombeiros saiu por volta das 16h45 da Casa de Custódia, possivelmente com presos feridos. A rebelião já dura 5horas.

Policiais do Rone, Bope e Tropa de Choque permanecem dentro do presídio. Familiares batem no portão, tentam invadir a grade e uma mulher de preso chegou a jogar um rojão de foguete. A todo momento se escuta barulhos de tiros e cheiro de gás lacrimogêneo. 

Até agora, a direção não informou quantos presos foram feridos durante a rebelião. 

Atualizada às 16h

A rebelião na Casa de Custódia, maior presídio do Piauí, continua tensa e 100% dos pavilhões estão em motim. A informação foi confirmada pelo diretor do Sindicato dos Agentes Penitenciário do Piauí, Kleiton Holanda. 

Segundo ele, os presos atearam fogo nas entradas dos nove pavilhões usando tecidos e balde de plástico para impedir a entrada da Polícia. 

O Bope, Rone e tropa de Choque já estão dentro do presídio, no entanto aguardam momento certo para tentar conter a rebelião. A Custódia abriga 970 presos, quando a capacidade é para 330. 

Por volta das 16h, houve um acirramento de ânimos entre os familiares dos presos e a Polícia. Ao chegar mais um carro da tropa de Choque, os familiares tentaram impedir a entrada na Casa de Custódia e foi contida com empurrões. 

Segundo familiares, existe um preso ferido com bala na cela 14. 

O defensor público, Juliano de Oliveira Leonel e representantes da OAB são impedidos de entrar na Custódia. 

Atualização às 14h

Grupos de pelo menos dois pavilhões da Casa de Custódia iniciaram um motim na manhã desta segunda-feira. Eles teriam ateado fogo em colchões e quebrado algumas das celas que já estavam em reforma devido a última rebelião ocorrida no fim do ano passado. Familiares dos detentos se reúnem aflitos do lado de fora do presídio enquanto escutam barulho de tiros e veem a chegada de reforços policiais ao espaço.

O motim teria começado devido uma represália dos detentos à administração do presídio, que teria vetado as visitas aos familiares por conta de uma tentativa de assassinato ocorrida no Pavilhão H no último domingo. Com a rebelião, pelo menos seis detentos foram transferidos para a o presídio de Altos, mas a tensão ainda segue no local.

Equipes da Polícia Militar e do Bope foram acionadas e estão tentando controlar os ânimos dos detentos. A Tropa de Choque e o Rone também invadiram o local.

Na tentativa de homicídio ocorrida no domingo, um dos detentos da cela 2 do Pavilhão H foi ferido com golpes de barra de ferro retiradas da estrutura da unidade. Ele recebeu atendimento médico e foi encaminhado para um hospital.

 

Diego Iglesias e Lucas Marreiros
[email protected]

Imprimir