Cidadeverde.com
Entretenimento

Ana Hickmann sobre atentado: 'Minha vida continuará como antes'

Imprimir

Ana Hickmann voltou a falar na TV sobre o atentando que sofreu no sábado, 21, em Belo Horizonte. A apresentadora disse que sua rotina não será alterada, nem a sua participação ativa nas redes sociais sofrerá mudanças. "Minha vida vai continuar a ser igualzinha como antes. Só vou rever alguns cuidados ao sair de casa. As minhas redes sociais são o canal que tenho para falar com meu fã-clube. Vou continuar com o mesmo carinho e queria agradecer as mensagens enviadas por  todos", disse ela em entrevista ao "Hoje em Dia", da Record.

Ana Hickman foi atacada por Rodrigo Augusto de Pádua, de 30 anos, no sábado, 21, no Hotel Ceaser Business, em Belo Horizonte. Rodrigo invadiu o quarto da apresentadora, entrou em luta corporal com o cunhado dela, Gustavo Correa, e acabou baleado e morto. A cunhada e assessora da apresentadora, Giovana Oliveira, também foi baleada e seguia internada na manhã desta segunda-feira.

Ainda na entrevista, Ana contou que as duas últimas noites têm sido muito difíceis para ela, mas nesta segunda ela acordou mais calma. "Ter a família perto ajuda bastante nessas horas. Hoje de manhã liguei a TV mas não consegui ver a matéria toda de vocês sobre o assunto. Hoje é dia de celebrar o fato dos meus cunhados estarem bem. É muito bom ter os amigos perto."

Hickmann enfatizou que não pretende mudar sua rotina de trabalho. "Quero continuar a minha vida. Não quero deixar as coisas pararem. A profissão que escolhi é essa. Acredito que quem está ao meu redor me quer bem. Não vou deixar a vida parar. Preciso só de um tempo para colocar a minha cabeça no lugar e cuidar da minha família", disse ainda.

O momento de maior emoção da apresentadora foi quando ela falou de Giovana. "Queria pedir todo o pensamento positivo para a minha cunhada sair logo de lá. É muito importante. Agradeço a todo, muito obrigada".

Primeira entrevista
Ana deu sua primeira entrevista à TV, neste domingo, 22, após sofrer o atentado. Muito emocionada, a apresentadora relembrou os momentos de terror. "É dificil de acreditar que aquela imagem, a cena, as palavras, os tiros, que tudo aquilo aconteceu. Parece cena de filme. Na hora em que ele entrou, a primeira coisa que passou na minha cabeça foi, 'é um assalto, um arrastão'. Só que ele veio para cima de mim e começou a me ofender e a me humilhar. Por uma graça de Deus, meu marido e meu filho não estavam presentes", disse ela em entrevista ao programa "Domingo Espetacular", da Record.

Entenda o caso
Ana estava em em seu quarto, no nono andar do hotel Caesar Business, por volta de 14h do sábado, quando seu cunhado, Gustavo, foi abordado por Rodrigo Augusto de Pádua, 30 anos, que estava armado e o obrigou a levá-lo até o quarto da apresentadora.

Ana foi ofendida e ameaçada pelo infrator no quarto do hotel, e juntamente com Gustavo e a mulher dele, Giovana Oliveira, que também é assessora de imprensa de Ana, foi obrigada a ficar de costas. Quando Gustavo reagiu e entrou em luta corporal com o bandido, ele fez dois disparos que atingiram Giovana no braço e no abdômen. Na briga, Gustavo conseguiu desarmá-lo e disparar três tiros contra ele, que morreu no mesmo momento.

Segundo a Polícia Militar, o bandido apresentou nome falso para se hospedar no hotel, apresentando um cartão de crédito do pai. A assessora Giovana, que foi baleada, está internada no Hospital Biocor, em Belo Horizonte, em estado estável e ainda sem previsão de alta.

"A paciente Giovana Alves de Oliveira foi submetida a cirurgia de emergência em 21/05/2016, para tratamento de lesões intestinais e vasculares. No momento, encontra-se em tratamento intensivo. Está lúcida, acordada, consciente e com os sinais vitais estáveis, apesar de ainda sob riscos e inspirando cuidados. Respira sem ajuda de aparelhos", disse o comunicado enviado pela assessoria do hospital, neste domingo, 22.

'Ação foi em legítima defesa', diz delegado
A apresentadora voltou para casa, em São Paulo, na noite de sábado, após prestar depoimento no Departamento de Investigação e Homicídios e Proteção à Pessoa de Belo Horizonte..

Segundo o delegado Flávio Grossi, responsável pelas investigações, o caso é encarado como legítima defesa. "O Gustavo foi autuado em flagrante no local, mas diante dos depoimentos, ficou eminente que a ação dele contra o infrator foi em legítima defesa e relaxei a sua situação no caso", explicou o delegado.

Infrator tinha perfil dedicado a Ana Hickmann
Nas redes sociais, Rodrigo tinha um perfil dedicado a Ana Hickmann onde escrevia declarações ofensivas. "Ana Hickmann, meu amor, eu estou muito triste porque você gostar de me ver assim e ainda brinca com isso? Eu quero seu carinho, seu amor, não quero ser magoado! Eu te dou tanto amor, sou tão bom pra você e os meus dias estão desse jeito. Não estou dormindo direito, meus dias estão uma merda e a minha saúde indo pra casa do. Obrigado mesmo", escreveu ele em um dos posts.

Ele também usava o Twitter para tentar se aproximar de Ana. Rodrigo tinha pelo menos três contas na rede social onde falava apenas sobre a apresentadora. "Há mais de um ano que é você e só você. Eu penso, sonho e suspiro somente por você, meu amor! Meu amor! Meu amor! Meu amor", escreveu ele em dezembro de 2015.

Fonte: Ego

Imprimir