Cidadeverde.com
Entretenimento

Kesha retira ação de abuso sexual e estupro contra Dr. Luke

Imprimir

cantora americana Kesha, de 29 anos, retirou nesta segunda-feira (dia 1º) uma ação de abuso sexual e estupro movida contra o produtor Dr. Luke em outubro de 2014 na justiça da Califórnia, informa a imprensa dos Estados Unidos.

Kesha também enfrenta uma disputa com sua gravadora, a Sony Music, que lança os discos da artista pelo selo Kemosabe, coordenado por Dr. Luke. Pelo contrato, ela teria de lançar ao todo cinco discos – até agora, saíram dois.

O produtor, cujo nome verdadeiro é Lukasz Gottwald, negou na época ter cometido o crime. No dia em que Kesha abriu um processo na justiça de Nova York, ele abriu um processo contra a cantora alegando difamação. Por disso, o caso na Califórnia estava suspenso desde junho de 2015.

Inicialmente, Kesha disse ter sofrido "abusos sexuais, físicos, verbais e emocionais" cometidos durante o período de cerca de uma década em que colaborou com o produtor. A ação dizia que Dr. Luke começou a assediá-la quando ela assinou contrato para trabalharem juntos, em 2005. Na época, a cantora tinha 18 anos e supostamente foi obrigado a beber álcool e usar drogas.

Ação em Nova York continua
De acordo com a revista "Rolling Stone", embora tenha retirado nesta segunda ação na justiça da Califórnia, Kesha pretende continuar com o processo de mesmo teor movido na justiça de Nova York após as alegações formais de Dr. Luke.

"Kesha retirou sua ação na Califórnia sem que isso prejudique seu recurso e outras reivindicações legais nos tribunais de Nova York", declarou em nota Daniel Petrocelli, que representa a cantora. "Kesha está focada em voltar a trabalhar e mostrou 28 músicas novas para a gravadora. Nós informamos a Sony e o selo quanto ao enorme desejo de Kesha de lançar o próximo disco e um single o quanto antes."

Já a advogada de Dr. Luke, Christine Lepera, respondeu em comunicado: "Se Kesha está voluntariamente retirando suas alegações no caso da Califórnia, é que ela não tem chance de vencer. No início deste ano, ela foi derrotada por Dr. Luke na ação em Nova York. Recentemente, o tribunal da Califórnia convocou Dr. Luke e outros réus para descartar as ações de Kesha naquela ação. Kesha nunca deveria ter feito alegações falsas e sem mérito contra Dr. Luke em nenhum tribunal. A difamação contra Dr. Luke e outras alegações contra Kesha ainda estão em processo".
Novas músicas
A entrega das novas músicas tem relação com o processo movido por Dr. Luke contra Kesha, por rescisão de contrato de contrato. De acordo com a "Rolling Stone", o produtor pede indenização em dinheiro em vez de solicitar à cantora que cumpra o contrato até o fim.

Em abril, a corte de Nova York descartou o processo em que Kesha alegava ter sido alvo de  violência emocional, discriminação e machismo por parte de Dr. Luke. Em fevereiro, o juiz já havia negado permissão à cantora para lançar trabalhos por outros selos que não o Kemosabe. Ela apelou da decisão.

Fonte: G1

Imprimir