Cidadeverde.com
Últimas

Advogado e mais três são presos por tentativa de fraude no concurso da Sejus

Imprimir

A Polícia Civil do Piauí divulgou nesta segunda-feira (19) a lista dos presos suspeitos de tentarem fraudar o concurso da Secretaria Estadual de Justiça. As provas foram aplicadas ontem e os candidatos foram presos em flagrantes. 

Entre os presos está o advogado Evilásio Rodrigues de Oliveira Cortez que foi preso na operação Véritas tentando fraudar o concurso do Tribunal de Justiça do Piauí.

O delegado geral, Riedel Batista, informou que dos quatro presos apenas o advogado permanece na prisão. O restante pagou fiança e vão responder em liberdade. 

Veja na íntegra a nota:

A Polícia Civil do Estado do Piauí, por meio do Grupo de Repressão ao Crime Organizado, com apoio da Delegacia Geral, Núcleo de Inteligência da Secretaria de Segurança Pública e NUCEPE efetuaram a prisão de quatro pessoas por Tentativa de Fraude ao Concurso de Agente Penitenciário do Estado do Piauí ocorrido na manhã deste domingo (18-09-2016). Dentre as pessoas presas em flagrante estão: RAYSSA KELLY ALEXANDRE DE CARVALHO, JOANDERSON ALMEIDA DOS SANTOS, MÁRCIO MORAIS RODRIGUES e EVILÁSIO RODRIGUES DE OLIVEIRA CORTEZ, este último, advogado e preso anteriormente na Operação Veritas por ser um dos integrantes da Organização Criminosa que fraudou o concurso do TJ-PI realizado em dezembro de 2015.

Matéria original

Quatro pessoas foram presas por suspeita de tentativa de fraude no concurso para agente penitenciário da Secretaria de Justiça do Piauí (Sejus). Quase oito mil candidatos concorreram ao certame que ocorreu em Teresina, neste domingo (18).

Entre os presos estão dois homens, uma mulher e um advogado que já havia sido preso na operação Véritas, que desbaratou uma organização criminosa suspeita de fraude no concurso do Tribunal de Justiça do Piauí (TJ-PI).

Os presos não tiveram a identidade revelada e foram levados para a sede do Grupo de Combate ao Crime Organizado (Greco). De acordo com informações da Polícia Civil, apenas o advogado permanece preso. Os demais foram liberados após pagamento de fiança. 

Em grupos de whatsapp sobre o concurso, candidatos informaram que fiscais retiraram a mulher e um baiano das salas, onde faziam a prova, com o gabarito na mãos.  

O diretor do Núcleo de Concursos e Promoção de Eventos (Nucepe), Jorge Martins Filho, disse que está colaborando com o trabalho do Greco, mas que não tem informações a respeito da operação.
 
Ele informou que o gabarito provisório já está disponível para os candidatos. Jorge Martins Filho disse que ainda não tem o número de abstenções. “Estamos fazendo o levantamento do número”, afirmou. 
 
As provas foram realizadas em 15 centros de aplicação, todos em Teresina. 
 

 

Graciane Sousa e Caroline Oliveira
gracianesousa@cidadeverde.com

Imprimir