Cidadeverde.com
Geral

Participantes denunciam falta de estrutura do Projeto Cidadão Mirim no Mário Covas

Imprimir

Atualizada às 9h45 de 13 de novembro de 2016

Instrutores e alunos denunciam a falta de estrutura do Projeto Mirim Cidadão em Teresina, e tem como objetivo de diminuir a entrada de crianças e adolescentes na criminalidade, principalmente em comunidade carentes. 

O núcleo Mario Cover, na zona Sul de Teresina, tem 200 alunos matriculados, mas muitos já deixaram de frequentar o projeto devido às precárias condições do ginásio em que são realizadas as atividades.  O estado é de abandono, não tem bebedouro, os banheiros estão sujos e depredados, alambrados danificados e instalação elétrica precária. 

Os alunos em entrevista ao Jornal Cidade Verde deste sábado (12) comentaram que as atividades são legais e muitos querem seguir carreira, mas com as atuais condições tornou-se, praticamente, insustentável continuar participando. Eles falam que não tem local para beber, comer e usar o banheiro.   

Para não deixar os filhos desidratados, as mães levam garrafas de água para os filhos não ficarem com sede. 

O projeto, que acontece aos sábados e os participantes praticam comandos coletivos militares e atividades esportivas, como futsal, judô, capoeira e dança, nem sempre foi assim. Até o setembro deste ano, as atividades do Pelotão ocorriam dentro da Escola Municipal H.Dobal, que é a maior da comunidade, mas, um desentendimento por causa do Desfile da Independência, no dia 7 de setembro, teria feito o colégio fechar às portas para o projeto. 

“Fica difícil, como vocês estão vendo, o banheiro da quadra não funciona bem, não tem a mínima condição dos alunos estarem usando, nem beber agua tem como. Muitos alunos já desistiram”, disse um dos instrutores.

A reportagem tentou contato com Secretaria de Segurança e a direção da Escola, mas não obteve êxito. 

Nota 

A Secretaria Estadual de Segurança Pública esclarece que o projeto do bairro Mário Covas citado nesta reportagem não faz parte do projeto Mirim Cidadão, mantido pelo órgão. Atualmente, 34 projetos são mantidos pela SSP que arca com todos os custos. A Secretaria de Segurança ainda informa que para fazer parte do Mirim Cidadão são estabelecidos critérios como Capacitação para Educadores Sociais acerca do projeto político pedagógico, assinatura de um termo de compromisso se comprometendo a conduzir o projeto com ética,  responsabilidade e observando  as legislação vigente para crianças e adolescentes. A Secretaria ainda informa que vai procurar a coordenação do projeto no Mario Covas para saber se eles se interessam em se adequar às exigências para serem inclusos no quadro do Mirim Cidadão.

Da Redação
[email protected] 

Imprimir