Cidadeverde.com
Últimas

Ciberataque não atingiu dados pessoais e atendimento no INSS é normalizado

Imprimir

O ciberataque mundial, que atingiu mais de 70 países na última sexta-feira (12), chegou ao Piauí. O ataque também atingiu a rede de computadores do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). 

Em entrevista ao Jornal do Piauí desta terça-feira (16), o superintendente do INSS no Piauí, Ney Ferraz Junior, informou que os clientes podem ficar tranquilos que o ataque não interferiu nos dados pessoas. Hoje (17), o trabalho já estava normalizado. 

"Nós temos que primeiramente tranquilizar. Nós fomos informados desse possível ataque na rede do INSS na sexta-feira a tarde e precisamos deixar claro que não tivemos nenhuma interferência a nível estadual. O Piauí conseguiu contornar os possíveis problemas que teriam com esse possível ataque. Das quase 1 mil máquinas que temos no sistema de dados, apenas 12 foram atingidas, sendo sete em Teresina e cinco em Floriano", comentou. 

O superintendente reforça que "não houve nenhuma interferência ou atraso nos atendimentos ao público e no sistema do INSS. Os hackers não tiveram acesso ao dados sigilosos do INSS. Tudo foi contornado, menos de 1% das máquinas foram atingidas e logo nas primeiras horas de segunda já estavam substituídas". 

Na segunda (15), a empresa de call center de Teresina Vikstar também operava com dificuldades. O sistema do Ministério Público Estadual e Tribunal de Justiça do Piauí voltaram a funcionar normalmente ontem. 

Ataque 

O hacker Lucas Marques explicou que o vírus se espalhou de forma sistêmica nas redes, possivelmente recebido por e-mails maliciosos na rede local. Esse foi o diferencial: o fácil acesso a rede local.  Para Lucas, a  simples atualização do sistema operacional da máquina evitaria esse tipo de ataque. 

"O vírus se aproveitou de uma falha do sistema operacional, no protocolo de compartilhamento de arquivo, e se aproveitando disso, conseguiu além de infectar a máquina se proliferar pela rede infectando outras máquinas - causando um grande impacto em vários países. As pessoas precisam usar antivírus e sistema operacional original e atualizado", comentou. 

 

[email protected] 

Imprimir