Cidadeverde.com
Esporte

Sul-Americana: Fla e Chape empatam sem gols; Sport vence Ponte

Imprimir

No jogo que marcou o retorno oficial de Alan Ruschel aos gramados, Chapecoense e Flamengo empataram em 0 a 0, na noite desta quarta-feira, na Arena Condá, em Chapecó (SC), pela partida de ida das oitavas de final da Copa Sul-Americana.

Fla e Chape ficaram no 0 a 0 (Foto: Gilvan de Souza/Flamengo)

O duelo foi bem movimentado, com algumas boas chances de gol, mas ninguém teve competência para balançar a rede.

As equipes voltam a se enfrentar na próxima quarta-feira, na Ilha do Urubu, no Rio de Janeiro. O Verdão do Oeste jogará por um empate com gols, enquanto o Rubro-Negro precisa de uma vitória simples para avançar no torneio. 

O jogo mostrou-se animador no início, aberto, com muita velocidade de ambos os lados. Os dois times buscavam o gol, mas faltavam oportunidades claras. O Flamengo apostava nas jogadas de lado de campo com Berrío. Everton, por sua vez, teve que deixar a partida cedo, com um problema na panturrilha esquerda, dando lugar ao garoto Vinicius Júnior. 

A Chape chegou com mais perigo num bom chute do bravo Alan Ruschel. Diego Alves fez uma boa defesa, e Arão impediu Túlio de Melo de pegar o rebote. Ex-jogador do Flamengo, Canteros desperdiçou uma boa oportunidade em cobrança de falta. 

Já o Rubro-Negro incomodou com algumas jogadas de bola parada, mas não teve sucesso para furar o bloqueio dos donos da casa. Guerrero, sempre combativo, arriscou só um chute perigoso na primeira etapa. Foi pouco. 

O segundo tempo começou agitado, com a Chape pressionando para abrir o placar. O Flamengo respondeu com uma cabeçada de Juan, que Jandrei segurou firme. Guerrero também chegou perto, mas cabeceou mal numa saída equivocada do goleiro do Verdão do Oeste. 

Aos 14 minutos, Réver quase abriu o placar em cabeçada à queima roupa contra Jandrei. O goleiro da Chape estava no lugar certo e evitou o gol. Com a bola no chão, o Flamengo não conseguia levar o mesmo perigo. 

Do outro lado, Reinaldo perdeu uma chance incrível aos 29 minutos. Penilla arriscou um chute despretensioso de fora da área, Diego Alves espalmou para a frente, e o lateral, cara a cara com o goleiro, chutou para fora. 

Guerrero e Paquetá deram trabalho ao goleiro Jandrei nos minutos finais. Pela Chape, Luiz Antônio arriscou um bom chute, mas parou em Diego Alves. Numa linda jogada, Penilla finalizou rente à trave esquerda do Flamengo. O equatoriano chegou muito perto de fazer a alegria da torcida da casa. Contudo, o placar de 0 a 0 era insistente e permaneceu até o fim. 

Sport vence, mas Ponte marca gol importante na Sul-Americana

Ponte Preta não viu a cor da bola na noite dessa quarta-feira. Em Recife, na Ilha do Retiro, o Sport fez 3 a 1 com sobras na Macaca e abriu boa vantagem nas oitavas de final da Copa Sul-Americana. 

A situação poderia ser ainda pior para os campineiros, que 'acharam' um gol no fim do jogo e deixaram a situação um pouco menos complicada para o duelo de volta, no Moisés Lucarelli, dia 20.

Sem Emerson Sheik, poupado, Gilson Kleina apostou em Léo Gamalho no ataque ao lado de Lucca. A dupla se deu bem no fim de semana, na incrível reação da Ponte contra o São Paulo no Morumbi. Já Vanderlei Luxemburgo avançou Mena na ponta esquerda e deixou Sander fixo atrás para contar as subidas de Nino Paraíba.

Em campo, a estratégia de Luxemburgo deu mais certo. O primeiro tempo teve poucas chances de gol, mas o Leão ditou o ritmo do confronto, com os visitantes muito tímidos, principalmente na questão ofensiva.

E em dois escanteios o Sport começou a construir sua vitória. Logo aos sete minutos, Diego Souza obrigou Aranha a executar um milagre. No rebote, Ronaldo Alves estufou as redes. A jogada se repetiu aos 44. Dessa vez, o goleirão da Ponte nada pôde fazer depois de bela testada de Rithely.

Na etapa final, Kleina apostou tudo para conseguir ao menos um gol. O time de Campinas ficou exposto e deu diversos contra-ataques para os donos da casa. Aranha trabalhou, Marllon salvou bola em cima da linha, Rithely acertou a trave…

Era questão de tempo sair o terceiro gol. E de novo ele veio após um escanteio. Dessa vez, Leo Gamalho afastou mal e deixou a bola limpa para Raul Prata, que só teve o trabalho de cruzar no pé de André. 3 a 0 fácil.

A fatura parecia liquidada, quando Gilson Kleina fez sua última aposta. Claudinho entrou no jogo. E aos 37, o jovem atacante armou o contra-ataque que acabou com a conclusão de Felipe Saraiva para as redes. Um gol que manteve a Ponte Preta viva na briga.

Quarta-feira que vem, a Ponte Preta pode ficar com a vaga se conseguir um 2 a 0 no placar, graças ao gol marcado fora de casa. Mesmo assim, a situação do Sport segue favorável. Um gol do Leão na casa dos paulistas complicará e muito a tarefa da Macaca.

Antes de tudo isso, ambos têm compromisso pelo Campeonato Brasileiro. Domingo o Sport encara o Flamengo no Rio. Um dia antes, a Ponte Preta recebe o Atlético-GO em Campinas.


Fonte: Terra

Imprimir