Cidadeverde.com
Geral

Crianças sofrem acidentes ao pilotarem motos e pais omitem informação no HUT

Imprimir

Foto: JF Agora

O número crescente de vítimas de acidente de moto é uma preocupação do Hospital de Urgências de Teresina (HUT). E entre os casos recebidos diariamente, um tem chamado a atenção: crianças pilotando esse tipo de veículo tem sofrido acidentes e os familiares omitem a verdadeira causa da internação. 

A informação foi dada pelo diretor do HUT, Gilberto Albuquerque, em entrevista no Cidade Verde Notícias desta terça-feira (26). "Cada dia um número maior de crianças dá entrada no hospital e elas mesmas estavam pilotando a moto. E a própria família esconde a causa do acidente", explicou na Rádio Cidade Verde.

O diretor do HUT acrescentou que a verdadeira causa da internação só é descoberta dias depois, quando os pais retornam ao hospital para mudarem a causa nos registros, com o objetivo de receberem o seguro de Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Via Terrestre (DPVAT). 

O uso de motocicletas por crianças reúne alguns dos principais fatores de internação por acidente de moto no HUT: falta de conhecimento técnico, das normas e regras de trânsito, e também de equipamento, como capacete, luvas e outros itens protetores - respectivamente terceiro e quarto motivos desse tipo de internação no hospital. 

Os campeões nas causas de internação ainda são o uso de bebida alcóolica antes de pilotar e velocidade acima do permitido para a via, nesta ordem. Em quinto lugar, uma novidade: o uso de telefone celular por motociclistas enquanto estão no trânsito. 

Doutor Gilberto Albuquerque acrescentou que os casos de acidentes envolvendo pilotos e passageiros de moto tem crescido 10% a cada ano, e com ferimentos mais graves. Cerca de 65 a 80 pacientes têm órgãos amputados no HUT, número que aumenta na reta final do ano. 

"São pacientes que ficam mutilados pelo resto de suas vidas. A gente precisa ter cuidado, precisa ter um trabalho de conscientização para que possa diminuir o número de pacientes", completou. 

Fábio Lima
fabiolima@cidadeverde.com

Imprimir