Cidadeverde.com
Cidades

Delegado investiga se garoto deixado em presídio pode ter sido abusado

Imprimir

O delegado de Altos, Jarbas Lopes,  informou ao Cidadeverde.com que abriu inquérito para investigar o caso do garoto de 13 encontrado dentro da cela com um preso acusado de estupro na Colônia Agrícola Major César de Oliveira, no município de Altos.

A Polícia Civil busca agora localizar os pais do garoto para prestarem depoimentos. No sábado, o adolescente foi levado às 9h com a mãe e pai para visitar um amigo do casal. Lá, a criança foi deixada na cela do detento. Ele foi encontrado escondido debaixo da cama.

Somente na madrugada de domingo - por volta das 3h da madrugada - é que o garoto foi encontrado e lavado para a Central de Flagrante de Teresina. O delegado de plantão solicitou exame para identificar se o garoto sofreu abuso sexual, mas deu negativo. Diante do resultado, o delegado liberou os pais e não pegou nenhum depoimento.

O delegado Jarbas Lopes, que assumiu o caso, criticou a postura do colega e disse que no mínimo ele deveria ter ouvido os pais, o agente e o preso, já que todos foram levados para a Central de Flagrante.

"A falta de oitivas atrapalhou um pouco o início da investigação, pois nem o endereço correto da vítima estava no Boletim de Ocorrência", disse o delegado.
Ele disse que trabalha com três hipóteses: uma de abandono de incapaz, crime de vexame e constrangimento e de prostituição infantil.

"Mesmo que o exame deu negativo, o garoto pode ter sofrido abuso sexual e vamos saber apenas com o depoimento da criança, que estamos tentando localizar. Vamos saber também se os pais receberam algum valor para deixar o filho na cela", afirmou  o delegado.

Sejus abre sindicância

A Secretaria de Justiça do Piauí abriu sindicância para investigar o caso. A investigação, que deve ser concluída em, no máximo, 30 dias, tem como objetivo apurar em que circunstâncias a criança foi deixada na unidade, bem como apontar responsáveis pelo ocorrido.

De acordo com o secretário de Justiça, Daniel Oliveira, paralelamente à sindicância aberta pela Secretaria de Justiça, um inquérito policial sob o caso está em curso na Polícia Civil. “Temos informações preliminares sobre o caso e as investigações irão identificar o que, de fato, ocorreu. Atuaremos, com agilidade, para identificar e punir os responsáveis, nos termos da Lei”, assinala Oliveira.

A comissão de sindicância da Secretaria de Justiça do Piauí para investigar o caso foi designada pelo gabinete do secretário, por meio da Portaria nº 062/17, dessa segunda-feira (2).

O secretário se reuniu com comissão do Conselho Tutelar de Teresina, para tratar sobre o caso. 

Flash Yala Sena
yalasena@cidadeverde.com

Imprimir