Cidadeverde.com
Esporte

Avaí vence Palmeiras e segue na luta contra o rebaixamento

Imprimir

Vivos e com esperanças. Sentimentos compartilhados por azurras do campo e das arquibancadas depois do jogo da noite desta segunda-feira. O Avaí fez o que precisava e ganhou do Palmeiras por 2 a 1.

Agora, o Leão está a um ponto de sair da zona de rebaixamento e tem duas rodadas para tentar alcançar a permanência no Campeonato Brasileiro.

Tanto quanto nesta segunda, precisa vencer a próxima partida. Novamente na Ressacada, no último compromisso do ano em casa, o time enfrenta o Atlético-PR, às 17h de domingo. Já o Palmeiras, garantido na Libertadores, volta a jogar às 20h da próxima segunda. O adversário é o Botafogo, em São Paulo.

A torcida azurra pedia desde o primeiro apito de Ricardo Marques Ribeiro: "Vai para cima deles, Leão". O Avaí foi, porque a permanência do clube na elite nacional depende de vitória. Atrás dela a equipe da casa avançava pela direita, mas o poder do lateral não encaixava com o atacante Maurinho. O Palmeiras parava na linha de marcação na frente da área.

E dali mesmo mandava para o gol. Foi assim que o travessão amassou a bola no chute de Tchê Tchê, aos 15 minutos. Logo depois, o jogo parou pela reclamação azurra. Após disputa pelo alto, a redonda tocou no braço do palmeirense Luan dentro da área. A arbitragem não assinalou a penalidade.

Sem demora e em busca do resultado positivo, o Avaí quase chegou ao fundo do barbante. Marquinhos recebeu na frente, segurou a marcação e rolou para Maurinho. Fernando Prass abafou logo em seguida ao arremate.

Aos 30, o Leão perdeu a maior esperança de gol. Artilheiro do time na temporada, com 16, Junior Dutra deixou o gramado com dores na coxa e abriu caminho para Luanzinho fazer a mesma função, no lado esquerdo do ataque. Apesar do jogo aberto, a rede não mexeu na etapa inicial.

Na volta do intervalo foi o time que empurrou a torcida. O Leão iniciou o segundo tempo agressivo, com Maurinho e Luanzinho travados pela marcação na hora do arremate de frente para Prass, com apenas três minutos de jogo. A jogada em velocidade daria certo. Aos 11 minutos, Romulo botou na área para Maurinho. Ligeiro, ele tocou a bola e foi derrubado pelo goleiro do Palmeiras.

Pênalti claro, marcado e convertido. Maior artilheiro da Ressacada, Marquinhos mandou o chute forte, à esquerda de Fernando Prass, que botou a bola dentro, o Avaí na frente e a torcida para cantar.

Canto que embalou o time e virou trilha sonora do segundo gol, cinco minutos depois. Do banco ao campo logo após a abertura do placar, Lourenço riscou a área ao entrar em velocidade pelo lado direito para mandar um balanço que encheu as redes palmeirenses e o peito da torcida azurra de esperança.

Com dois tentos de vantagem e o adversário com um atacante a mais após a entrada de Willian na vaga do volante Thiago Santos, o Avaí tinha mais de 30 minutos para segurar o resultado. Wellington Simião ainda entrou para reforçar a marcação. No entanto, o Palmeiras descontou aos 29, com Keno aproveitando rebote após boa defesa de Kozlinski.

Torcida e time então passaram a jogar juntos. O Avaí defendeu o resultado. Depois de momentos delicados, em que a Ressacada ficava silenciosa, os torcedores de azul e branco cantavam em incentivo à equipe.

Assim foi até o último apito - demorado pelos cinco minutos de acréscimos - celebrado com o urro de alívio de azurrar das arquibancadas e de dentro de campo.

Fonte: Diario Catarinense

Imprimir