Cidadeverde.com
Cidades

Assassinato de ex-prefeito vai a julgamento após 26 anos

Imprimir

Atualizada às 17h

Por volta das 17h, quatro testemunhas já tinham sido ouvidas, sendo 3 da acusação e uma da defesa. A previsão é o que julgamento termine apenas nesta terça-feira (28).

Matéria original

 

O juiz de Bom Jesus, Elvio Ibsen Barreto de Souza Coutinho, iniciou na manhã desta segunda-feira (27) o julgamento de cinco réus acusados pela morte do ex-prefeito de Redenção do Gurgueia, Joaquim Fonseca Santos.

Joaquim foi assassinado em 9 de abril de 1991 com um tiro nas costas quando jogava dominó em seu sítio que fica a 2km de Redenção. 

No banco dos réus estão: Antônio Tavares de Sousa, o Antoninho, o ex-vereador Gabriel Soares Mendes, o então motorista na época do prefeito, Edvaldo Alves Feitosa, o Didi e Salvador Roberto de Amorim, Aldemício de Sousa Nunes. O sexto suspeito de morte de Joaquim Fonseca é Termozires Barros Torres, que faleceu e foi retirado do processo.

No processo, o advogado Dilson Marques Fernandes, que é marido de Eunice Macedo, e era vice-prefeita de Joaquim Fonseca, é suspeito de ser o mandante do crime. Na investigação, há indícios de que o assassinato ocorreu por questões política.  

 

Os advogados de defesa são Silas Barbosa de Menezes e Osório Marques Bastos Filho. A viúva Maria Elita Tavares de Alencar Santos é ouvida como informante. O promotor da acusação é João Malato.


Flash Yala Sena
[email protected]

Imprimir