Cidadeverde.com
Geral

CRM cobra da Saúde que agilize lista de espera de pacientes em todo o Estado

Imprimir

A diretoria do Conselho Regional de Medicina do Piauí – CRM-PI, representada pela presidente Mírian Palha Dias Parente, e pelo vice-presidente, Dagoberto Barros da Silveira, fizeram na manhã desta terça-feira (20) uma visita à coordenação da Central de Regulação de Internações Hospitalares, em Teresina. O motivo do encontro foi obter novas informações sobre como está o andamento da lista de espera de pacientes de todo o Estado que estão internados ou não para a realização de procedimentos, como cirurgias.

Na reunião, que contou com a coordenação do órgão, entre elas a médica Denise Leal Martins e a enfermeira Maria do Socorro Guimarães, o CRM-PI teve mais detalhes sobre os principais problemas a serem enfrentados para uma melhor oferta de vagas em hospitais da rede pública. A presidente do CRM-PI disse que um dos pontos que chamam a atenção é que 41% dos pacientes ortopédicos a espera de cirurgias têm idade acima de 65 anos, os quais estão internados para realização de cirurgias por fratura de fêmur. Para a Drª Mírian Parente, esse percentual de idosos internados com o problema demonstra a necessidade de um trabalho mais efetivo de prevenção nessa faixa etária.

“O CRM Piauí entende que é preciso programas de prevenção para idosos na atenção básica de saúde. Partindo desse pensamento, solicitamos que os gestores de saúde nos municípios e a própria população apoiem essa iniciativa, no sentido de haver mais efetiva orientação a essa parcela da população sobre os riscos iminentes a fraturas na terceira idade”, considera Mírian Parente.

PREVENÇÃO – Idosos a partir de 65 anos são mais suscetíveis à fratura de ossos, principalmente o fêmur, causados por quedas. Segundo dados oficiais, com a população brasileira cada vez maior na terceira idade, esse contingente passou a ser questão de saúde pública; 34% de quedas entre idosos provocam algum tipo de fratura. Quase metade desses acidentes acontece no trajeto entre o banheiro e o quarto, principalmente à noite. Quedas que provocam fraturas instáveis na região do quadril em idosos demandam tratamento cirúrgico. E desses operados, 1/3 ficam curados, 1/3 caminham mal por conta da fratura e 1/3 morrem em um ano.  Cartilhas com orientações são importantes para informação do idoso, da família e dos cuidadores. Medidas simples podem evitar quedas com fraturas, como, por exemplo, a utilização de dispositivos para auxílio à marcha, como bengalas, andadores e cadeiras de roda e ter pegadores, principalmente em banheiros, para evitar abaixar-se ao solo. Os cuidados com o uso correto de medicamentos, para evitar o uso inadequado também é uma medida simples. Idosos também precisam de locais com corrimão e evitar, quando possível, escadas e locais com desníveis.

Da Redação
[email protected]

 

Imprimir