Cidadeverde.com
Esporte

Tite explica preferências da última lista antes da convocação para a Copa

Imprimir
  • coletite-9.jpg Pedro Martins / MoWA Press
  • coletite-8.jpg Pedro Martins / MoWA Press
  • coletite-7.jpg Pedro Martins / MoWA Press
  • coletite-6.jpg Pedro Martins / MoWA Press
  • coletite-5.jpg Pedro Martins / MoWA Press
  • coletite-4.jpg Pedro Martins / MoWA Press
  • coletite-3.jpg Pedro Martins / MoWA Press
  • coletite-2.jpg Pedro Martins / MoWA Press
  • coletite-1.jpg Pedro Martins / MoWA Press

Após apresentar a lista dos convocados da Seleção Brasileira, que enfrenta Rússia e Alemanha, nos dias 23 e 27 de março, respectivamente, o técnico Tite abordou diversos temas durante entrevista coletiva ao lado de integrantes da Comissão Técnica. Confira os principais temas abordados. 

COMO EQUIPE JOGARÁ SEM NEYMAR

"Manter uma estrutura da equipe, com as funções que exercem nos clubes sejam exercidas na Seleção. O Douglas Costa jogou muito, dos dois lados da mesma forma, pode jogar na esquerda, onde teve seu maior momento no Bayern com o Guardiola. Numa função parecida com a do Neymar. Há a possibilidade do Coutinho vir por dentro, com o aproveitamento do Willian, que está num grande momento. Mas manter uma coerência em cima do que eles vêm desenvolvendo nos clubes."

OPÇÃO POR WILLIAM JOSÉ

'O objetivo é ter opções, jogadores de características diferentes, um pivô, mas tem mobilidade. Ele é alto, mas se movimenta e cabeceia muito. Tem números bons em campeonatos importantes. Assim como o Jô, ou algum outro no Brasil possa ter essa característica e te permita um acréscimo''

DIAS QUE ANTECEDEM O DUELO CONTRA A ALEMANHA

"Vai aflorar situações emocionais, verdadeiras, temos que trabalhar em cima da verdade. O que queremos desse jogo? Uma preparação. Nível de enfrentamento alto. Vamos pegar o país-sede, sabemos como isso é importante. Eles foram campeões na nossa casa, queremos nos preparar para estar bem na Copa do Mundo."

FALTA DE PROTAGONISMO DE JOGADORES OFENSIVOS

'Vamos olhar para o outro lado? Willian, Douglas Costa, Firmino jogando muito. Uma equipe é forte por opções e concorrência. Pode assumir uma postura forte sem o seu maior jogador. É desumano colocar nas costas do Neymar toda a responsabilidade. Vamos pegar cada um a nossa parcela''.

AUSÊNCIA DE NEYMAR COMO OPORTUNIDADE

"Vejo como fato real não ter o Neymar, vamos direcionar nosso trabalho. Foi muito feliz o pai do Neymar em dizer que a primeira preocupação é com a saúde do atleta. Não se paga o preço de vencer com a saúde de alguém. É um jogador diferente, é Top 3. Mas equipe forte se faz independentemente de nomes. Força de equipe é fundamental e temos que ter força para suplantar adversidades, como essa, mas projetando tê-lo para a Copa."

EQUIPE HARMONIOSA

"Um conjunto tem que ser harmonioso. O Kaká, último brasileiro a ganhar a Bola de Ouro, disse que a equipe era muito forte e ele foi um representante dela. Ele foi muito feliz. As oportunidades surgem a cada atleta. 

Eu repito o que coerentemente tenho colocado, a lista final vai bater ali na frente. Todos os atletas continuam sendo avaliados, e grandes momentos como os de Willian José e Talisca, que trazem componentes diferentes. Willian José faz duas grandes temporadas na Real Sociedad, desenvolvimento grande como atleta, com jogo combinado. 

Talisca tem finalização de média distância, bola aérea, imposição física que pode emprestar virtude contra defesas com linha de cinco ou quatro. Isso não quer dizer que Giuliano, Lucas Lima e Diego estão fora. Absolutamente. Não há uma situação definitiva, há margem de disputa."

REENCONTRO COM ALEMANHA

"É uma das favoritas ao título pela força que tem, pelo trabalho que está desenvolvendo junto contra outras seleções, como o Brasil. O 7 a 1 é um fato real, temos que nos acostumar. 

Enquanto não tiver um novo jogo, vão fazer memes, vão falar sobre isso. Como foi depois da final de 2002, ficaram fazendo sobre o erro Kahn, sobre os gols do Ronaldo, são fatos históricos do passado. Agora é uma preparação que para nós é extremamente importante pela qualidade da Alemanha''.

AUSÊNCIA DE NEYMAR 

"Tudo tem um lado bom na vida. O lado bom dessa história é que Neymar estará com uma carga de jogos muito menor na apresentação da Seleção. Preferíamos que ele nunca tivesse uma lesão desse tipo, é muito melhor que o atleta esteja 100% de sua forma física e tática, mas a carga de jogos não será elevada."


Fonte: GOAL

Imprimir