Cidadeverde.com
Últimas

Estudantes organizam ato para pedir mudanças no Inthegra

Imprimir

Estudantes de Teresina estão organizando um ato para a próxima quarta-feira(11) para solicitar mudanças no sistema Inthegra, que começou a funcionar na zona Sul no dia 17 de março. O ato se concentrará no Teatro de Arena, na Praça da Bandeira, no Centro a partir das 9h30.

De acordo com um dos organizadores, membro do Diretório Acadêmico de Estudantes da Universidade Federal do Piauí (DEC-UFPI) e morador da zona sul, Lucas Martins, está sendo elaborado um documento para ser entregue à Prefeitura e a Strans. 

“Desde que iniciou a integração nós temos visto que está gerando uma grande confusão. Os passageiros não têm informações adequadas, apesar de terem pessoas para ajudar. Os ônibus nos horários de pico estão sempre superlotados, o fiscal fica empurrando gente para fechar a porta e ainda ficam outras esperando fora. Os ônibus estão demorando mais para passar”, descreve o estudante.

Ele conta que mora no bairro Bela Vista e conhece trabalhadores que precisavam pegar o ônibus das 5h50 para chegarem às 7h no trabalho, mas depois da integração não conseguem mais chegar no horário. “Tem um Bela Vista III que passava exatamente às 5h50, mas agora só passa às 6h20 e ainda espera 15 minutos no terminal, a pessoa nunca mais chegou as 7h no trabalho, só chega atrasada”, exemplifica. 

Além do sistema de integração, ele relata problemas nos ônibus que fazem linha para a UFPI. “Antes tínhamos três linhas Cetro-UFPI e agora só ficou uma. A Prefeitura alegou que só essa linha dava para suprir a demanda, mas os ônibus estão demorando mais para passar e vêm super lotados, como é que não tem uma demanda grande?”, questiona. 

O ato chamado de “O Inthegra Desintegra” também encaminhar à Prefeitura e Strans um documento com reivindicações de melhoria no sistema e sugestões como uma linha direta dos terminais para as universidades e colocação de guardas municipais nos terminais e estações, principalmente a noite. 

O evento está sendo organizado pelos diretórios de estudantes da UFPI e Universidade Estadual do Piauí (Uespi) e pela Associação Municipal dos Estudantes Secundaristas (Ames). 

“Queremos uma resposta efetiva, porque só estamos vendo muita propaganda nas redes sociais e de fato não tem viabilizado a situação dos trabalhadores e estudantes”, destacou Lucas Martins. 

Debate sobre o tema

Antes do ato, na terça-feira às 17h, os estudantes vão participar de um debate que ocorrerá na praça do Centro de Ciências Humanas e Letras (CCHL) no campus Pirajá da Uespi. O objetivo é mobilizar os estudantes para o ato do da seguinte.

Devem participar do debate representantes dos DCEs UFPI e Uespi e o especialista em transporte Emerson Sammuel.


Caroline Oliveira
[email protected]

Imprimir