Cidadeverde.com
Esporte

Com dois tempos distintos, Vasco fica no empate diante da Chapecoense

Imprimir
  • golvas-3.jpg Fotos: Carlos Gregório Jr/Vasco.com.br
  • golvas-2.jpg Fotos: Carlos Gregório Jr/Vasco.com.br
  • golvas-1.jpg Fotos: Carlos Gregório Jr/Vasco.com.br
  • cha-vas-9.jpg Fotos: Carlos Gregório Jr/Vasco.com.br
  • cha-vas-8.jpg Fotos: Carlos Gregório Jr/Vasco.com.br
  • cha-vas-7.jpg Fotos: Carlos Gregório Jr/Vasco.com.br
  • cha-vas-6.jpg Fotos: Carlos Gregório Jr/Vasco.com.br
  • cha-vas-5.jpg Fotos: Carlos Gregório Jr/Vasco.com.br
  • cha-vas-4.jpg Fotos: Carlos Gregório Jr/Vasco.com.br
  • cha-vas-3.jpg Fotos: Carlos Gregório Jr/Vasco.com.br
  • cha-vas-2.jpg Fotos: Carlos Gregório Jr/Vasco.com.br
  • cha-vas-1.jpg Fotos: Carlos Gregório Jr/Vasco.com.br

Em um jogo marcado por dois tempos opostos, o Vasco empatou em 1 a 1 com a Chapecoense, na Arena Condá, pela segunda rodada do Brasileirão. Se na etapa inicial o Cruz-Maltino foi muito mal, repetindo os conhecidos erros defensivos e demonstrando pouco desejo pela vitória, o segundo tempo dá maior esperança de evolução visando as decisões pela Libertadores.

Wellington Paulista abriu o placar para os mandantes e Andrés Rios garantiu o empate cruz-maltino, que ainda desperdiçou chances de vencer na etapa final. Agora, a equipe de Zé Ricardo soma quatro pontos na competição nacional.

Velhos problemas...
Depois da goleada sofrida diante do Racing, na Argentina, era esperado uma melhora defensiva da equipe de Zé Ricardo para o Brasileirão. Contudo, a zaga continuou sofrendo em Chapecó. Primeiro, Apodi cruzou e Arthur, sozinho, cabeceou sozinho para fora. Depois, foi a vez de Vinícius Freitas chegar ao fundo e colocar na cabeça de Wellington Paulista, que não desperdiçou. Mais uma falha de Paulão, dentre as tantas ocorridas nesta temporada. A bola aérea segue sendo um tormento para o Vasco em 2018.

As mudanças
Com Werley na zaga, o Vasco ganhou maior velocidade e mobilidade para marcar Arthur. Contudo, Wellington dava muitos espaços e, na frente, a entrada de Rildo não deu a força esperada pelo lado esquerdo. No segundo tempo, Thiago Galhardo ganhou a oportunidade e mudou o panorama ofensivo da equipe, que não existiu no primeiro tempo. 

Categoria de Rios
Mais ofensivo, o Vasco voltou em cima da Chape na etapa final. E o empate veio logo aos nove minutos: Thiago Galhardo recebeu pela direita e cruzou para Rios, que, com categoria, driblou Jandrei e empatou o jogo. Mais do que a parte técnica, a postura do Cruz-Maltino foi outra.

Chances perdidas
Melhor no segundo tempo, o Cruz-Maltino voltou a desperdiçar grandes oportunidades de gol. Em uma delas, Wagner parou em Jandrei. Na outra, Evander - que entrou na vaga de Wellington - acabou furando, sozinho, após belo passe de Rios. Inacreditável a chance desperdiçada pelo meia, com a igualdade permanecendo no placar até o final do jogo.

Próximos duelos
Pelo Brasileirão, o próximo compromisso do Vasco será somente em maio, no dia 5, contra o América-MG. Antes, o Cruz-Maltino decide sua vida na Libertadores. Na quinta, a equipe recebe o Racing-ARG, em São Januário.

FICHA TÉCNICA:?
CHAPECOENSE 1 X 1 VASCO

Local: Arena Condá, em Chapecó (SC)
Data-Hora: 22/4/2018, às 16h
Árbitro: Luiz Flavio de Oliveira 
Auxiliares: Miguel Cataneo Ribeiro da Costa e Herman Brumel Vani
Cartões amarelos: Wellington (VAS)
Gols: Wellington Paulista, aos 18'/1ºT (1-0); Andrés Rios, aos 9'/1ºT (1-1)

CHAPECOENSE: Jandrei, Apodi, Rafael Thyere, Douglas e Vinícius Freitas; Amaral, Elicarlos, Luiz Antônio (Nadson, aos 43'/1ºT) (Leandro Pereira, aos 33'/2ºT) e Canteros; Arthur e Wellington Paulista (Vinicius, aos 27'/2ºT) T: Gilson Kleina

VASCO: Martin Silva, Rafael Galhardo (Thiago Galhardo, Intervalo), Paulão, Werley e Henrique; Wellington (Evander, aos 31'/2ºT), Desábato, Yago Pikachu, Wagner e Rildo (Riascos, aos 45'/2ºT); Andrés Rios T: Zé Ricardo

Fonte: Lance!

Imprimir