Cidadeverde.com
Esporte

Vasco perde em casa para o Vitória no Brasileirão

Imprimir
  • vas-vit-7.jpg Foto: Paulo Fernandes/Vasco.com.br
  • vas-vit-6.jpg Foto: Paulo Fernandes/Vasco.com.br
  • vas-vit-5.jpg Foto: Paulo Fernandes/Vasco.com.br
  • vas-vit-4.jpg Foto: Paulo Fernandes/Vasco.com.br
  • vas-vit-3.jpg Foto: Paulo Fernandes/Vasco.com.br
  • vas-vit-2.jpg Foto: Paulo Fernandes/Vasco.com.br
  • vas-vit-1.jpg Foto: Paulo Fernandes/Vasco.com.br

Não foi, definitivamente, uma semana boa para o Vasco e seu torcedor. Em meio à turbulência política, o time sofreu duas derrotas, ambas coincidentemente para times baianos. Se na quarta levou 3 a 0 do Bahia, neste domingo perdeu de 3 a 2 para o Vitória, em São Januário, pela quinta rodada do Brasileiro. Foi a primeira derrota do time de Zé Ricardo na competição, e a primeira vitória do time baiano, que teve o goleiro Caíque como seu grande nome.

A boa atuação do goleiro do Vitória dá um panorama do que foi a partida. Justiça seja feita, apesar do placar decepcionante, que gerou protestos de alguns torcedores ao fim do jogo, o Vasco controlou boa parte da partida, merecendo melhor sorte. Erros e desatenções no setor defensivo, porém, cobraram seu preço.

O primeiro erro surgiu aos 17 minutos. A esta altura o Vasco já tinha mais volume de jogo, mas Desábato recuou na fogueira para Martín Silva, que foi pressionado por Neílton. Na dividida, a bola sobrou para André Lima bater rasteiro para o gol aberto e abrir o palcar.

O gol gerou os primeiros muxoxos na arquibancada, mas em campo o Vasco não se abateu. Com muito mais posse de bola - chegou a 78% -, o time foi encurralando o Vitória e acumulando conclusões.

O empate parecia inevitável, mas veio em um lance sofrido. O árbitro marcou pênalti de Rhayner em Wagner aos 37. Andrés Rios tirou a bola das mãos de Pikachu e bateu no canto direito. Caíque saltou bem e espalmou, mas, no rebote, derrubou Caio Monteiro. Mais um pênalti, desta vez batido por Pikachu, no canto esquerdo: 1 a 1.

O Vasco voltou do intervalo em cima dos baianos. Caíque passou a ser o nome do jogo. Aos 13, o goleiro do Vitória fez linda defesa após chute de Rafael Galhardo dentro da área. Pouco depois, Pikachu arriscou de longe e Caíque voou para espalmar.

A partida parecia à feição para a virada, mas o Vitória aproveitou-se de duas infelicidades da zaga vascaína para abrir vantagem no placar. Aos 25, Lucas Fernandes, que havia acabado de entrar em campo, foi acionado pela esquerda. Ele entrou na área e bateu cruzado. A bola desviou em Desábato e encobriu Martín Silva.

Cinco minutos depois, o time baiano cobrou escanteio da direita, a bola bateu em Werley e entrou. Gol contra do zagueiro do Vasco.

Se parecia batido, o Vasco ao menos mostrou valentia e uma entrega que não havia aparecido na derrota para o Bahia na Fonte Nova. Andrés Ríos descontou aos 37, e até o apito final houve pressão na busca pelo empate, que vão veio.

Na próxima rodada o Vasco tem o clássico contra o Flamengo, sábado, enquanto o Vitória recebe o Ceará no domingo.

VASCO 2 X 3 VITÓRIA

Vasco: Martín Silva, Rafael Galhardo, Breno, Werley e Henrique; Desábato, Bruno Silva (Bruno Cosendey), Yago Pikachu, Wagner (Riascos) e Caio Monteiro (Kelvin); Andrés Ríos.

Vitória: Caíque, Lucas (José Welison), Kanu, Walisson Maia e Jeferson; Willian Farias, Fillipe Soutto, Wallyson e Rhayner (Lucas Fernandes); Neilton e André Lima (Denílson).

Gols: 1T: André Lima aos 17m e Yago Pikachu aos 39m; 2T: Lucas Fernandes aos 25m, Werley (contra) aos 30m e Andrés Ríos aos 37m.

Juiz: Jean Pierre Gonçalves Lima (RS).

Cartões amarelos: Walisson Maia, Breno, Willian Farias, Fillipe Soutto e Henrique.

Público: 3.542 (3.143 pagantes).

Renda: R$ 81.630,00.

Local: São Januário.

Fonte: Extra

Imprimir