Cidadeverde.com
Política

Preso há um mês, Azeredo espera reduzir pena com cursos

Imprimir


Foto: Pedro Ângelo/G1

Solitário, Eduardo Azeredo se alonga, faz uma caminhada e se senta para ler páginas de livro durante o banho de sol na quadra do batalhão do Corpo de Bombeiros onde cumpre pena, na Região Centro-Sul de Belo Horizonte. O ex-governador de Minas Gerais completa um mês de prisão neste sábado (23) e espera reduzir sua pena com cursos a distância e leituras.

A defesa fez o pedido com o objetivo de ele cumprir pena de forma mais rápida. Azeredo, que também ocupou os cargos de prefeito de Belo Horizonte, senador e deputado federal, foi condenado a 20 anos de prisão pelos crimes de peculato e lavagem de dinheiro no processo do mensalão tucano.

O ex-governador teve a prisão decretada no dia 22 de maio e se entregou um dia depois em uma delegacia da capital mineira. Ele cumpre pena em um espaço de 27 metros quadrados na unidade do Corpo de Bombeiros, onde há uma cama, uma mesa e um banheiro com chuveiro elétrico. O ex-governador tem acesso à rádio e TV, equipamentos levados pela família, segundo a Secretaria de Estado de Administração Prisional (Seap).

Ainda de acordo com a secretaria, dois agentes penitenciários fazem a escolta de Eduardo Azeredo e o acompanham no banho de sol, realizado durante as tardes diariamente na área da quadra da academia dos bombeiros. Na tarde desta sexta-feira (22), porém, o G1 registrou o ex-governador caminhando e fazendo alongamento sem que outras pessoas estivessem presentes na quadra.

Segundo a Seap, os funcionários do sistema prisional também o supervisionam durante as visitas. O órgão não informou as pessoas cadastradas para visitá-lo e justificou que as informações são de “cunho pessoal do preso”.

Uma fonte ouvida pelo G1 disse que o ex-governador recebe com mais frequência o filho, uma nutricionista, um médico e advogados. E é da família que Azeredo recebe diariamente refeições especiais por causa de restrições médicas, conforme receituário apresentado pelo preso. O horário das refeições, contudo, segue o mesmo cronograma do sistema prisional.

 

Fonte: G1

Imprimir