Cidadeverde.com
Geral

CRM adia prazo para interdição ética da Maternidade Evangelina Rosa

Imprimir

Foto: Cidadeverde.com

O Conselho Regional de Medicina no Piauí prorrogou o prazo para a vistoria que pode levar a interdição ética da Maternidade Evangelina Rosa. Prevista para esta quarta-feira (18),  o CRM optou por adiar para o próximo dia 27, após uma reunião com representantes da Secretaria Estadual de Saúde do Estado.

Segundo a presidente do CRM, Míriam Parente, a Sesapi conseguiu demonstrar através de documentos que tem tomado as providências urgentes para solucionar o problema. "Eles conseguiram comprovar que tomaram medidas, compraram medicamentos, insumos, contratação de laboratório privado para exames, concertaram a máquina do laboratório, além de outras medidas", pontuou.

A presidente do Conselho havia proposto a fiscalização que apontou o risco considerável de aumento de infecção hospital. Se aprovada, médicos e enfermeiros de alguns setores vão paralisar as atividades. 

"Infelizmente, temos que tomar uma medida mais drástica. O que podemos fazer como principal agora é um indicativo de interdição ética. Vamos levar isso a plenário em reunião extraordinária para decidir. Se aprovado haverá paralisação setorial dos médicos e enfermeiros ", explica Parente.

A fiscalização foi realizada pelo CRM-PI em parceria com o Conselho Regional de Enfermagem do Piauí (Coren-PI) e o Ministério Público. Para Mirian Portela a situação é de caos e precisa ser solucionada com urgência. Entre os problemas diagnosticados estão a falta de medicamentos, insumos e até sabonete líquido para higienização das mãos. 

Míriam acrescenta que os medicamentos e insumos comprados são suficientes para abastecer a unidade alguns por 90 dias e outros por 180. Para ela, a parte mais sensível será a questão estrutural que requer mais tempo para ser concluída.

"Essa parte é mais difícil porquê precisa de tempo. A empresa colocou uma placa com 180 dias, mas há materiais que não são encontrados em Teresina. Isso é o que vai demorar mais", pontuou.

Rayldo Pereira
rayldopereira@cidadeverde.com

Imprimir