Cidadeverde.com
Cidades

Em setembro, Piauí registrou a semana com mais focos de calor do ano

Imprimir

Foto: Nicélio Silva/Ibama

A semana entre os dias 17 a 23 de setembro foi a de maior índice de focos de calor deste ano no Piauí. Somente nesta semana, segundo o coordenador estadual do Centro Nacional de Prevenção e Combate aos Incêndios Florestais (Prevfogo) no Piauí, Gildênio Sousa, o número de focos em apenas sete dias foi considerado maior do que a leitura mensal normal do ano.
 
Gildênio Sousa acredita que o aumento, visto com preocupação, é o uso incontrolável do fogo, provocando principalmente pela ação do homem. 
 
"Dentro desse período, de 17 a 23, foram 1,132 focos, o que corresponde a 18%  dos focos de todo o ano, até agora, se concentrou nesta semana. Isso é um dado, uma leitura preocupante, porque isso é um indicativo de mês, de julho ou agosto. Praticamente, em uma semana de setembro queimou praticamente agosto do ano passado", alerta o coordenador. 
 
Os dados apresentados foram obtidos por meio dos satélites de referência aquatard, que faz uma leitura objetiva dos focos, ignorando os falsos alarmes.  
 
Gildênio esclarece que a expressão foco de calor é usada porque não há uma confirmação exata se a área afetada passa por um incêndio ou por uma queimada, isto é, não existe uma interpretação se o fogo está sob controle ou não. 
 
O coordenador ressaltou que o Piauí já registrou 6.203 focos de calor do dia 1º de janeiro a 25 de setembro deste ano; o dobro quando comparado ao mesmo período do ano passado. Em 2017, foram 3.852 focos. 
 
"Representa um aumento de quase 60%, que já era esperado porque a vegetação cresceu e tivemos uma estação seca mais prolongada", argumenta o coordenador. 
 
"A diferença também ocorreu devido a consolidação do El Niño, que não tivemos no ano passado.  Em 2018, tivemos La Niña com chuvas mais regulares. Esse ano com o El Niño estamos com condições atmosféricas mais acentuadas com a umidade relativa do ar muito baixa, uma forte radiação solar e as temperaturas mais elevadas, características dessa estação de seca mais longa". 
 
Até o dia 25 de setembro, os municípios com uma leitura mais crítica de focos de calor são: Floriano, Uruçuí, Baixa Grande do Ribeiro, Jerumenha, Sebastião Leal, e Canto do Buriti. 
 
A preocupação do Prevfogo do Ibama inclui o aumento dos focos de calor e as limitações emergenciais para combatê-los, tanto o quantitativo como o acionamento. 
 
São várias brigadas (do Estado, de Voluntários, e de alguns municípios), mas devido a ampliação dos focos a quantidade de combatentes poderá não ser suficiente. 
 
Ele alerta para a queimada controlada, com autorização dos órgãos competentes, e o cuidado de não provocar incêndios, que é considerado crime, pode ajudar a diminuir os focos.  
 
"É preciso retomar o planejamento e a execução do plano estadual  de ação de controle de queimadas e combate aos incêndios  Portanto, das atividades de cada membro dos entes federativos envolvidos, como também da sociedade civil", comentou. 
 

Carlienne Carpaso
carliene@cidadeverde.com 

Imprimir