Cidadeverde.com
Política

Governador critica ação anti-PT no WhatsApp e manda recado a eleitores

Imprimir

Foto: Yala Sena

O governador Wellington Dias (PT) condenou os ataques que o Partido dos Trabalhadores e Fernando Haddad, candidato à Presidência da República, vêm sofrendo no WhatsApp no segundo turno das eleições. Wellington Dias pediu providências das autoridades e mandou recados aos eleitores.

O WhatsApp já anunciou que baniu 100 mil usuários no Brasil para conter desinformação, spam e notícias falsas. A PF e o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) abriram investigação para apurar disparos em massas de mensagens contra o candidato Fernando Haddad. 

"O Brasil não vai votar em uma farsa. O Brasil quer um presidente real, um presidente que a gente tenha a certeza, segurança que vai cuidar do nosso povo...Peço aos piauienses que liguem para as pessoas, os que moram em São Paulo, em Brasília, em várias cidades, que elejam Fernando Haddad, que é o melhor para o País e para o Piauí", disse Wellington Dias.

Segundo o governador ainda há chances para uma virada na reta final do segundo turno. Ele pediu combate as notícias falsas. 

"Temos o desafio de alcançar mais de 50% dos votos. Na velocidade que caminhamos isso é possível. A diferença é de seis a oito pontos e é perfeitamente possível. Estamos fazendo uma campanha pra cima, de proposta e contra mentiras".

O governador disse que trabalha para aumentar a vantagem de votação pró-Haddad no Nordeste e no Piauí.

"Estamos querendo não só consolidar os 65% de votação, mas ampliar essa vantagem e dar uma maioria histórica", disse o governador que integra a coordenação de campanha de Haddad no Nordeste.

O candidato a presidente esteve neste sábado(20) em Picos ao lado do governador,  da presidente nacional do PT, Gleici Hoffmann, do deputado federal Marcelo Castro, senador eleito pelo MDB e de sua esposa Ana Estela Haddad. 

 

Flash Yala Sena
yalasena@cidadeverde.com

  • hadda6.jpg Allysson Diniz e Yala Sena
  • hadda3.jpg Allysson Diniz e Yala Sena
  • haddad19.jpg Allysson Diniz e Yala Sena
  • haddad18.jpg Allysson Diniz e Yala Sena
  • haddad17.jpg Allysson Diniz e Yala Sena
  • haddad16.jpg Allysson Diniz e Yala Sena
  • haddad15.jpg Allysson Diniz e Yala Sena
  • haddad14.jpg Allysson Diniz e Yala Sena
  • haddad13.jpg Allysson Diniz e Yala Sena
  • haddad12.jpg Allysson Diniz e Yala Sena
  • haddad11.jpg Allysson Diniz e Yala Sena
  • haddad9.jpg Allysson Diniz e Yala Sena
  • haddad8.jpg Allysson Diniz e Yala Sena
  • haddad5.jpg Allysson Diniz e Yala Sena
  • haddad4.jpg Allysson Diniz e Yala Sena
  • haddad3.jpg Allysson Diniz e Yala Sena
  • haddad2.jpg Allysson Diniz e Yala Sena
  • haddad1.jpg Allysson Diniz e Yala Sena
  • hadda10.jpg Allysson Diniz e Yala Sena
  • hadda7.jpg Allysson Diniz e Yala Sena
Imprimir