Cidadeverde.com
Esporte

Flávia fica sem medalha no solo e Brasil termina Mundial com uma prata

Imprimir

Foto: Abelardo Mendes Jr/ rededoesporte.gov.br/ Fotos Públicas

O Brasil encerrou sua participação no Mundial de ginástica artística de Doha, no Qatar, neste sábado (3), com apenas uma prata, obtida por Arthur Zanetti na última sexta-feira (2), nas argolas.

O resultado é melhor do que nos últimos dois Mundiais. Em 2017 e 2015 a equipe brasileira não conseguiu nenhuma medalha. O desempenho, porém, é pior que o do Mundial de 2014, realizado no mesmo ponto do ciclo olímpico que o deste ano -a dois anos dos Jogos.

O Brasil tinha duas chances de medalha no último dia de competição. Flávia Saraiva chegou perto, mas um desconto de 0,1 ponto por ter pisado fora do tablado lhe custou o bronze na final do solo. Ela terminou a prova com nota 13,766, em quinto lugar. A medalha foi para a japonesa Mai Murakami, com 13,866 (as duas empatariam sem a punição, mas Flávia levaria vantagem no critério de desempate por ter uma nota de partida menor).

"Estou muito feliz, uma emoção muito grande estar nesta final. Eu não fui muito bem no meu último Mundial [2015]. Agora eu consegui pegar três finais [solo, equipe e individual geral] e ficar em quinto no solo. Para mim já é como uma medalha de ouro", disse a atleta ao SporTV.

Também neste sábado, o brasileiro Caio Souza disputou a final do salto, mas, com uma queda no segundo exercício, ficou com média de 13,883 pontos e terminou em oitavo (último entre os finalistas).

"Final é tudo ou nada. Tenho que ganhar consistência, treinar muito ainda. A ansiedade bateu um pouco ali. Acho que estar na final já foi uma experiência gigantesca", afirmou.

O grande destaque do Mundial foi a americana Simone Biles, que no início do ano revelou ter sido uma das vítimas de assédio do ex-médico da equipe americana de ginástica, Larry Nassar, acusado de abusar sexualmente de ao menos 250 meninas e jovens atletas.

Após conquistar 4 ouros e 1 bronze nos Jogos Olímpicos do Rio, ela voltou à disputar uma competição de primeiro nível (se ausentou do Mundial de 2017) e conseguiu um desempenho ainda melhor, obtendo medalhas em todas as provas que disputou e totalizando 4 ouros (equipes, individual geral, salto e solo), 1 prata (barras assimétricas) e 1 bronze (trave). 

Fonte: Folhapress

Imprimir